Connect with us

Goiás

Goiás reduz em mais de 40% os casos roubo no campo

Published

on

Dados do Observatório de Segurança Pública mostraram diminuição expressiva na modalidade criminosa

DA REDAÇÃO

Trabalho de repressão aos crimes no campo é referência para o país: Ao longo dos 21 meses da atual gestão, foram mais de 60 operações realizadas em áreas rurais, com 120 prisões, mais de 500 cabeças de gado recuperadas, além da apreensão de quase 100 armas de fogo

A nova política de segurança pública no campo adotada pela atual gestão do Governo de Goiás é responsável por uma redução de 42,40% nos roubos em propriedades rurais no Estado. Os dados são do Observatório de Segurança Pública, da Secretaria de Segurança Pública, e referentes aos meses de janeiro a setembro de 2020, na comparação com igual período de 2019. Na análise dos nove meses deste ano, com o cenário encontrado em 2018, a queda é ainda mais expressiva: -48,37%. 

Ao longo dos 21 meses da atual gestão, foram mais de 60 operações realizadas pelas forças de segurança no campo. As ações resultaram em pelo menos 120 prisões, mais de 500 cabeças de gado recuperadas, além da apreensão de quase 100 armas de fogo. Os bons resultados foram celebrados pelo titular da pasta de Segurança Pública, Rodney Miranda. “O enfrentamento à violência na zona rural é um dos principais eixos na administração do governador Ronaldo Caiado e temos cumprido isso como muito rigor. O resultado tem sido altamente positivo, uma vez que somos referência para outros Estados e até mesmo alguns países. Os produtores rurais e famílias que vivem no campo também reconhecem este trabalho”, ressaltou. 

Uma das ações que contribuiu para a diminuição da criminalidade no campo foi a iniciativa do governador Ronaldo Caiado em criar o Batalhão Rural da Polícia Militar, por meio da Lei nº 20.488, de 2019. A unidade potencializou as ações operacionais rurais no Estado, trazendo maior proteção às famílias que vivem no campo. Dentro do Batalhão, foi implantado ainda o primeiro Centro Integrado de Inteligência Comando e Controle (CIICC) do país. Segundo o comandante do Batalhão, tenente coronel André Luiz de Carvalho, por meio das ações de georreferenciamento, hoje, mais de 30 mil propriedades rurais já foram cadastradas no sistema de monitoramento. 

“É um número considerável e nós estamos em um processo robusto de ampliação, com uma média de 4 mil novos cadastros semanalmente. Com isso, a gente espera fazer a média de quase 50 mil cadastros nos próximos 12 meses. E o Centro Integrado de Inteligência Comando e Controle serve não só pra controlar as nossas atividades, mas também para planejar, dar um direcionamento qualificado para a aplicação dos recursos operacionais. O Batalhão Rural, hoje, pode-se dizer que atua em todos os municípios do Estado”, pontuou. 

O trabalho, considerado pioneiro, das forças policiais de Goiás no combate à criminalidade no campo, foi referência para todas as outras unidades da Federação durante todo ano de 2019. Em dezembro do último ano, inclusive, representantes de 14 Estados brasileiros estiveram na sede do Batalhão de Polícia Militar Rural e do Centro de Comando e Controle Rural e de comitivas do Japão e da Colômbia. 

À época, o secretário Rodney Miranda já havia colocado o pioneirismo de Goiás à disposição. “O que queremos é combater a criminalidade no campo e contribuir com os outros Estados com o que estiver ao nosso alcance. Hoje estamos servindo como referência, devido a atenção que o governador Ronaldo Caiado determinou que tivéssemos em relação aos crimes no campo. Goiás está totalmente aberto para somar aos outros Estados”, garantiu.

Além das ações do Batalhão Rural da PM, as ocorrências no campo têm sido solucionadas com o fortalecimento da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Rurais (DERCR), da Polícia Civil. De acordo com o titular da especializada, delegado Pedromar Augusto de Souza, por meio da DERCR diversas associações criminosas que atuavam na zona rural têm sido desmanteladas. “Nesse ano nós fizemos várias operações, prendemos vários autores, pessoas perigosas envolvidas em roubos, furtos e que vivem em função do crime. O foco da delegacia é justamente dar paz social aos proprietários rurais, para que produzam e façam realmente o Brasil crescer”, afirmou. 

Com o trabalho desempenhado, a diminuição dos crimes passou a ser percebida de forma ainda mais clara. “A delegacia tem sido reforçada no seu efetivo, tendo apoio da Secretaria de Segurança Pública, objetivando combater ainda mais, com maior eficiência e rapidez, os crimes na área rural. Em razão desse combate efetivo, percebemos nesse ano de 2020, principalmente no segundo semestre, uma diminuição dos índices de criminalidade na área rural”, destacou o delegado. 

O governador Ronaldo Caiado fez questão de prestar elogios às forças de segurança, que possibilitam, desde 2019, uma queda constante dos crimes em Goiás. “Meu reconhecimento de público às polícias Civil e Militar, Polícia Técnico-Científica, Corpo de Bombeiros e Polícia Penal, por esse espírito público. Este é um compromisso do governo. A sociedade goiana tem de viver com tranquilidade. Não pode ser reprimida por aqueles que acham que vão ter espaço na criminalidade e vão ter proteção ou vista grossa do governo. Eles terão sobre si a mão forte do Estado. Nós não nos curvaremos, seja qual for o nível de criminalidade, ou com quais proteções eles queiram se apresentar”, assegurou.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Goiás

Após três meses, primeira dose da vacina da covid chegou a 14% dos goianienses

Published

on

No que se refere à segunda dose, somente 6,9% dos goianienses receberam o reforço

DA REDAÇÃO

Três meses após o início da vacinação contra a Covid-19 em Goiânia, o município conseguiu aplicar a primeira dose em 14,3% da população. No que se refere à segunda dose, o número é menor: apenas 6,9% dos goianienses receberam o reforço contra o vírus.

Conforme dados da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS), do total de doses aplicadas, 216.957 são referentes à primeira dose. As outros 104.919 são referentes à segunda dose. A prefeitura informou que 390.803 doses já foram entregues na capital, mas 321.876 já foram aplicadas.

A SMS informou também que o grupo de idosos representa a maior parcela dos vacinados até então. No total, já foram destinadas 157.183 vacinas de primeira dose e 62.749 de segunda dose para pessoas idosas. Trabalhadores da saúde aparecem na sequência, com 56.097 vacinas referente à primeira dose e 41.684 referentes à segunda dose.

Situação nos hospitais

Segundo boletim da SMS atualizado neste terça-feira (20), 84,4% das UTIs da capital estão ocupadas. Nas enfermarias, esse número corresponde a 66%.

Até o momento, Goiânia confirmou 142.055 casos de Covid-19 e 4.219 óbitos pela doença.

Continue Reading

Goiás

À ONU, Caiado pede que Brasil possa produzir princípio ativo da vacina contra Covid

Published

on

Sugestão do governador é que a produção ocorra mediante a pagamento de royalties

DA REDAÇÃO

Em reunião com a Organização das Nações Unidas (ONU), o governador Ronaldo Caiado (DEM) pediu para que o Brasil e outros países sejam autorizados a produzir o ingrediente farmacêutico ativo (IFA) utilizado na vacina contra a Covid-19. A sugestão do democrata é que a produção ocorra mediante a pagamento de royalties. Atualmente, apenas China, Índia, Rússia e Estados Unidos têm permissão para fabricar o princípio ativo.

A reunião ocorreu na última sexta-feira (14), de maneira virtual, e teve a participação da secretária-geral adjunta da ONU, Amina Mohammed, e governadores de outros estados brasileiros.

Na ocasião, o democrata disse que é inadmissível que somente quatro países possam fabricar o ingrediente para bilhões de pessoas.“Isso atrasa demais o processo de vacinação. Por isso a ONU precisa intermediar esse processo e garantir que possamos produzir o IFA mediante o pagamento de royalties”, salientou no encontro.

A secretária-geral Amina Mohammed acenou positivamente à sugestão de Caiado e declarou ser necessária a ação conjunta de todos. De acordo com Marlova Noleto, coordenadora da ONU no Brasil, o país será auxiliado em relação a medicamentos, vacinas e ajuda humanitária. “Vamos intensificar isso”, garantiu.

A ONU também anunciou que vai antecipar ao Brasil o repasse de quatro milhões de doses. Elas devem chegar ainda em abril. Outras quatro milhões de unidades podem vir em maio. Os imunizantes fazem parte do consórcio Covax Facility.

Continue Reading

Goiás

Governo de Goiás quer ampliar o prazo do estado de calamidade

Published

on

Novo decreto deve ser editado, o efeito do anterior terminou no fim de 2020.

O governo enviou à Assembleia Legislativa, um pedido de prorrogação do estado de calamidade em Goiás até 31 de dezembro. Com isso, será possível que o estado use recursos para o combate à pandemia de Covid-19, que recrudesceu nos últimos meses. Na justificativa, consta que há previsão da redução das receitas públicas e que as despesas com medidas para atenuar a crise gerada pela pandemia possam aumentar e que a não prorrogação poderia paralisar consideravelmente o aparto público

Continue Reading

Destaque