Connect with us

Anápolis

Jaiara: uma cidade construída dentro de Anápolis

Published

on

De simples bairro operário, ao maior complexo urbano do Município em sete décadas

Por Nilton Pereira

Há 72 anos foi inaugurado, em Anápolis, o primeiro loteamento planejado no Município. Inicialmente, para abrigar a cerca de mil famílias (e agregados) de trabalhadores da primeira fábrica de tecidos de Goiás, a “Companhia Goiana de Fiação e Tecelagem de Algodão”, que começou a funcionar, oficialmente, no dia 21 de julho de 1951, numa iniciativa da família Pina. De lá para cá, a Jaiara nunca parou de crescer e, hoje, indiscutivelmente, é o maior aglomerado urbano de Anápolis e um dos maiores do Brasil Central. Estima-se que residam, hoje, no que se convencionou denominar “Grande Jaiara”, uma população que ficaria entre 120 e 150 mil moradores, maior do que as populações da maioria das cidades do Estado. É que, em torno do núcleo Jaiara, gravitam quase duas dezenas de outros bairros, umbilicalmente ligados a ela. São setores como Nova Vila; Harmonia; Adriana I, Adriana II; Jandaia; Dom Felipe; Itamaraty I, II, III e IV; Dom Emanuel e Mônica Braga, dentre outros, cuja maioria dos moradores usufrui do que a Jaiara oferece.

Fatos históricos

Um dado curioso da Vila Jaiara é sua denominação. Ao contrário do que muita gente pensava (e, ainda, pensa) que se trata de um nome indígena (Tupi Guarany) na verdade é a junção de sílabas dos nomes dos dois filhos do engenheiro agrônomo Luiz Caiado de Godoy, que projetou o loteamento: Jairo e Yara.  O setor é tão importante, que existe, até, uma lei que criou o “Dia Municipal da Jaiara”, celebrado em 21 de agosto. (Lei 3.307/08). 

A História de Anápolis revela que, com o crescimento socioeconômico da Jaiara, cresceu, também, sua importância logística. O bairro era, naturalmente, a porta de entrada para o Vale do São Patrício, com o surgimento da colônia Agrícola de Ceres (hoje municípios de Ceres e Rialma) projeto comandado pelo Engenheiro Bernardo Sayão. E, para o, então, Médio Norte Goiano. Depois, veio a abertura da Rodovia Belém Brasília. Todo o tráfego para o Norte de Goiás e do Brasil, passava, obrigatoriamente, pela Jaiara. Foi quando se despertou o interesse comercial, com a abertura do primeiro posto de gasolina do setor (Posto Texaco), vindo, posteriormente, armazéns gerais; selarias; atacadistas; oficinas, lojas de tecidos, ferrarias e outros estabelecimentos. A empresa têxtil, também, evoluiu e aumentou seu operariado. Depois, ela foi vendida a outro grupo, passando a denominar-se Anatex e, anos após, Vicunha, quando a Jaiara experimentou seu mais importante ciclo de crescimento.

Nos anos 80, entretanto, a Vicunha foi desativada, o que provocou um grande baque na economia da Vila Jaiara e setores adjacentes. Entretanto, a região resistiu e, hoje, é ocupada por grandes, médios e pequenos projetos econômicos que substituíram, muito bem, a proposta original do setor, no que se refere à economia anterior. Com isso, a “Grande Jaiara” é vista como o mais importante conglomerado de bairros (disputa com os conglomerados ancorados pelos setores Bairro de Lourdes, Vivian Parque e Recanto do Sol) de Anápolis e participa, ativamente, da força econômica do Município. 

O que oferece

As pequenas casas de operários pioneiros da Vila Jaiara cederam lugar a imponentes edifícios. São vários os condomínios verticais e horizontais, onde residem milhares de pessoas. Sem contar outros em plena edificação e que serão disponibilizados em curto espaço de tempo. De igual forma, a Jaiara conta, hoje, com mais de uma dezena de escolas públicas (estaduais e municipais), muitas particulares, além de uma grande faculdade e outros projetos educacionais. Na “Grande Jaiara” funcionam, ainda, aproximadamente, oito grandes supermercados, um sem número de pequenos e médios, comércios, além de agências bancárias, médias e pequenas indústrias, dezena de empresas prestacionais de serviços, quatro postos de combustíveis e um dos maiores shoppings da Cidade (Jaiara Shopping), com várias lojas de bandeiras consagradas nacionalmente. É na Jaiara que fica, também, o principal núcleo do Serviço Social da Indústria (SESI), o Centro de Atividades Sociais “Branca de Lima Porto”, um dos maiores do Centro Oeste.

Também, constam da paisagem urbanística da “Grande Jaiara” o Parque da Reboleira, um dos maiores em Anápolis; grandes avenidas em pista dupla (a principal, Avenida Fernando Costa, é a veia econômica do setor); dezenas de igrejas de diferentes credos; clubes de lazer; ginásios e campos de futebol, muitas clínicas odontológicas e de outros serviços de saúde, assim como, uma infinidade de outros serviços. Há quem diga que a “Grande Jaiara” seja quase que independente de Anápolis, tem vida própria e, ainda, é fator gerador de tributos, mão de obra e serviços para grande parte da população anapolina. Todavia, mesmo com esta evolução toda, ainda é possível deparar-se com alguns traços arquitetônicos e vestígios da “vila que virou cidade”.

Reportagem cedida pelo Jornal Contexto

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anápolis

Segunda dose marcada para o dia 21 de abril estará disponível nesta terça – feira, 20

Published

on

DA REDAÇÃO

Quem precisa receber o reforço do imunizante deve procurar a unidade do Anexo Itamaraty, Ginásio Internacional Newton de Faria, CMTT ou Ginásio da UniEvangélica

A Prefeitura de Anápolis chama os idosos cuja data de aplicação da segunda dose seria nesta quarta-feira, 21 – feriado de Tiradentes – para procurarem nesta terça-feira, 20, das 8h às 16h, um dos quatro postos para receber a vacina. São eles: unidade do Anexo Itamaraty, Ginásio Internacional Newton de Faria, CMTT e Ginásio da UniEvangélica.

A vacinação continua para profissionais de saúde que precisam receber a segunda dose. Já a primeira dose está disponível para profissionais da saúde – por categoria, conforme chamamento dos conselhos de classe – e da segurança pública em atividade com idade acima de 35 anos, de acordo com grupos definidos pelas corporações. Essas doses fazem parte da remessa que veio do Estado destinada exclusivamente a estes grupos.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a pessoa que teve a doença deve aguardar no mínimo 30 dias para receber a vacina e pacientes que usam medicamentos imunossupressores, em tratamento oncológico ou de hemodiálise, precisam ter autorização médica para tomar a dose.

Continue Reading

Anápolis

Anápolis continua aplicação de segunda dose até a chegada de mais vacinas

Published

on

Idosos, profissionais da saúde e segurança pública podem ser imunizados em um dos três pontos das 8h às 16h

DA REDAÇÃO

A força-tarefa realizada pela Prefeitura de Anápolis na sexta-feira, 16, e sábado, 17, teve saldo positivo: 5.387 idosos com idade igual ou acima de 61 anos foram vacinados com a primeira dose. Agora, o município retoma a aplicação da segunda dose em idosos e profissionais de saúde até que novas remessas sejam enviadas pelos governos federal e estadual.

Também serão imunizados com primeira dose profissionais da saúde – por categoria, conforme chamamento dos conselhos de classe – e da segurança pública em atividade com idade acima de 35 anos, de acordo com grupos definidos pelas corporações. Essas doses fazem parte da remessa que veio do Estado destinada exclusivamente a estes grupos.

Para isso, vão funcionar os seguintes pontos: Ginásio Internacional Newton de Faria, CMTT e Ginásio da UniEvangélica. O horário continua das 8h às 16h. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a pessoa que teve a doença deve aguardar no mínimo 30 dias para receber a vacina e pacientes que usam medicamentos imunossupressores, em tratamento oncológico ou de hemodiálise, precisam ter autorização médica para tomar a dose.

Continue Reading

Anápolis

Anápolis está entre as cinco do Estado que tem mais registros de vacinas aplicadas

Published

on

Município já informou ao Ministério da Saúde 97,25% das aplicações de primeira dose

DA REDAÇÃO

O governo estadual listou os municípios que mais abastecem a base de dados do Ministério da Saúde sobre os imunizados em primeira dose da vacina contra Covid-19 e Anápolis é referência entre as cidades goianas, tendo registrado 97,25% das aplicações no sistema, até agora.

Um dos diferenciais de Anápolis, segundo a diretora de Vigilância em Saúde, Mirlene Garcia, é a organização dos dados por meio de sistema desenvolvido pelo próprio município, responsável pela atualização instantânea das informações, antes que elas sejam repassadas para a plataforma do SUS. “Depois que fazemos nosso registro em tempo real, assim que a vacina é aplicada, nós temos uma equipe que reúne esses cadastros, em geral no dia seguinte, e repassa as informações para o sistema do Ministério da Saúde”, explica.

Mirlene recorda que o sistema federal apresentou falhas quando começou a operar, o que impediu a cidade de ter atualização plena dos registros. “Nós fizemos uma força-tarefa para refazer os lançamentos que não foram inseridos”, diz a diretora. “Nosso pessoal tem trabalhado o dia todo na digitação dessas informações, inclusive hoje (sábado)”, afirma.

Das 71.910 doses recebidas pelo governo estadual, Anápolis já aplicou 66.534. Atualmente, o município está vacinando pessoas com idade igual ou superior a 61 anos, além de profissionais da saúde e da segurança pública, conforme determinado em portaria do Ministério da Saúde.

Continue Reading

Destaque