Connect with us

Anápolis

Indústria anapolina pode ter que paralisar a produção por falta de insumos e embalagens

Published

on

Esta é mais uma consequência da pandemia causada pelo novo Coronavírus

Por Priscila Marçal

Há alguns meses, empresas em todo o país foram assombradas pela ameaça de terem que fechar para evitar o contágio da Covid-19, doença causada pelo novo Coronavírus. Agora, ainda se recuperando do impacto financeiro da paralisação de muitos segmentos, uma nova ameaça paira sobre a indústria, faltam materiais essenciais para a fabricação e escoamento da produção.

A indústria anapolina já está amargando esses prejuízos. Por aqui faltam, principalmente, plástico e papelão para embalar a produção e despachar para entrega. De acordo com o empresário Amaury Esberard, que tem uma empresa de fármacos no Distrito Agroindustrial de Anápolis, a falta de insumos já é realidade na cidade e os empresários não tem alternativas, “algumas empresas podem ter que parar sua produção por falta de materiais essenciais para a fabricação de seus produtos ou para o escoamento deles”, explicou.

Para o empresário, quando determinou-se o funcionamento, apenas, das indústrias consideradas “essenciais” para a sociedade, como as do ramo farmacêutico, por exemplo, ignorou-se a cadeia produtiva. “A indústria farmacêutica precisa de caixas de papelão para embalar a produção e distribuir para a comercialização. Mas empresa que fabrica o papelão não era considerada essencial durante a quarentena, teve que paralisar as atividades e muitas delas fecharam por esse motivo”, explicou. Esberard disse, ainda, que quem tem sido mais afetado com isso são as indústrias que precisam desses produtos. “Estamos pagando até 30% mais caro pelo papelão, mas não podemos repassar esse custo para o cliente, ninguém aguenta mais aumento de preços”, disse. Além disso, o prazo para a entrega de embalagens e rótulos, que antes era de uma semana, agora aumentou para um mês.

Apesar do cenário atual, o empresário demonstrou otimismo com o futuro próximo. “A indústria anapolina é forte, não acredito que vamos ter novas perdas de emprego por falta de embalagens. A retomada da economia já aconteceu, assim como a retomada dos empregos. Esse problema deve durar por mais três meses e depois será normalizado”, analisou.

Montadoras de veículos

Segundo a ANFAVEA, a Associação Nacional de Fabricante de Veículos Automotores, o risco de paralisação da montagem de veículos no Brasil por falta de insumos é imediato. Ainda em dezembro a indústria automobilística pode parar devido à falta, principalmente, de aço. Há ainda escassez de pneus e de termoplásticos. Atualmente, há 119 mil e 400 veículos nos pátios de montadoras e de concessionárias do país, a quantidade atende à demanda por apenas 16 dias de venda.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anápolis

Segunda dose marcada para o dia 21 de abril estará disponível nesta terça – feira, 20

Published

on

DA REDAÇÃO

Quem precisa receber o reforço do imunizante deve procurar a unidade do Anexo Itamaraty, Ginásio Internacional Newton de Faria, CMTT ou Ginásio da UniEvangélica

A Prefeitura de Anápolis chama os idosos cuja data de aplicação da segunda dose seria nesta quarta-feira, 21 – feriado de Tiradentes – para procurarem nesta terça-feira, 20, das 8h às 16h, um dos quatro postos para receber a vacina. São eles: unidade do Anexo Itamaraty, Ginásio Internacional Newton de Faria, CMTT e Ginásio da UniEvangélica.

A vacinação continua para profissionais de saúde que precisam receber a segunda dose. Já a primeira dose está disponível para profissionais da saúde – por categoria, conforme chamamento dos conselhos de classe – e da segurança pública em atividade com idade acima de 35 anos, de acordo com grupos definidos pelas corporações. Essas doses fazem parte da remessa que veio do Estado destinada exclusivamente a estes grupos.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a pessoa que teve a doença deve aguardar no mínimo 30 dias para receber a vacina e pacientes que usam medicamentos imunossupressores, em tratamento oncológico ou de hemodiálise, precisam ter autorização médica para tomar a dose.

Continue Reading

Anápolis

Anápolis continua aplicação de segunda dose até a chegada de mais vacinas

Published

on

Idosos, profissionais da saúde e segurança pública podem ser imunizados em um dos três pontos das 8h às 16h

DA REDAÇÃO

A força-tarefa realizada pela Prefeitura de Anápolis na sexta-feira, 16, e sábado, 17, teve saldo positivo: 5.387 idosos com idade igual ou acima de 61 anos foram vacinados com a primeira dose. Agora, o município retoma a aplicação da segunda dose em idosos e profissionais de saúde até que novas remessas sejam enviadas pelos governos federal e estadual.

Também serão imunizados com primeira dose profissionais da saúde – por categoria, conforme chamamento dos conselhos de classe – e da segurança pública em atividade com idade acima de 35 anos, de acordo com grupos definidos pelas corporações. Essas doses fazem parte da remessa que veio do Estado destinada exclusivamente a estes grupos.

Para isso, vão funcionar os seguintes pontos: Ginásio Internacional Newton de Faria, CMTT e Ginásio da UniEvangélica. O horário continua das 8h às 16h. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a pessoa que teve a doença deve aguardar no mínimo 30 dias para receber a vacina e pacientes que usam medicamentos imunossupressores, em tratamento oncológico ou de hemodiálise, precisam ter autorização médica para tomar a dose.

Continue Reading

Anápolis

Anápolis está entre as cinco do Estado que tem mais registros de vacinas aplicadas

Published

on

Município já informou ao Ministério da Saúde 97,25% das aplicações de primeira dose

DA REDAÇÃO

O governo estadual listou os municípios que mais abastecem a base de dados do Ministério da Saúde sobre os imunizados em primeira dose da vacina contra Covid-19 e Anápolis é referência entre as cidades goianas, tendo registrado 97,25% das aplicações no sistema, até agora.

Um dos diferenciais de Anápolis, segundo a diretora de Vigilância em Saúde, Mirlene Garcia, é a organização dos dados por meio de sistema desenvolvido pelo próprio município, responsável pela atualização instantânea das informações, antes que elas sejam repassadas para a plataforma do SUS. “Depois que fazemos nosso registro em tempo real, assim que a vacina é aplicada, nós temos uma equipe que reúne esses cadastros, em geral no dia seguinte, e repassa as informações para o sistema do Ministério da Saúde”, explica.

Mirlene recorda que o sistema federal apresentou falhas quando começou a operar, o que impediu a cidade de ter atualização plena dos registros. “Nós fizemos uma força-tarefa para refazer os lançamentos que não foram inseridos”, diz a diretora. “Nosso pessoal tem trabalhado o dia todo na digitação dessas informações, inclusive hoje (sábado)”, afirma.

Das 71.910 doses recebidas pelo governo estadual, Anápolis já aplicou 66.534. Atualmente, o município está vacinando pessoas com idade igual ou superior a 61 anos, além de profissionais da saúde e da segurança pública, conforme determinado em portaria do Ministério da Saúde.

Continue Reading

Destaque