Connect with us

Goiás

Governo lança aplicativos para motoristas informarem problemas em rodovias

Published

on

A ideia é agilizar processos de manutenção e conservação das vias

DA REDAÇÃO

O vice-governador Lincoln Tejota, representando o governador Ronaldo Caiado, assinou contratos de projetos entre o Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), e o Fundo para Desenvolvimento da Pecuária em Goiás (Fundepec-GO), voltados à construção e reconstrução de nove rodovias e cinco pontes no Estado. A cerimônia aconteceu na sede da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), na tarde dessa segunda-feira (18), e contou com as presenças dos presidentes da entidade e deputado federal, José Mário Schreiner, e do secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAPA), Antônio Carlos Neto.

Também prestigiaram o evento os presidentes da Goinfra, Pedro Sales, da Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura (SGPA), Eurico Velasco, e do Fundepec-GO, Antônio Flávio Camilo de Lima, o vice-presidente da Agehab, Luiz Sampaio, o superintendente do Senar, Dirceu Borges, além de representantes de construtoras, sindicatos, associações, empresários e prefeitos.

A parceria – que ocorre em resposta às demandas dos produtores rurais quanto às rodovias e pontes – viabilizou cerca de R$ 5 milhões para a contração de projetos de execução de obras para a melhoria da malha viária estadual. Maior parte do recurso, cerca de 95%, será destinada a projetos de construção e reconstrução de quase 400 quilômetros de rodovias. O restante será empregado na elaboração de projetos de pontes, totalizando aproximadamente 150 metros. “Os projetos serão doados à Goinfra, com foco na celeridade dos processos de execução das obras”, comenta o vice-governador.

Plataforma interativa

O evento também marcou o lançamento do aplicativo RodoPontes, que vai repassar à Faeg dados sobre as condições de uso de pontes e estradas de Goiás. A plataforma – disponível para os sistemas Android e IOS – não só facilita o trabalho de motoristas que escoam a produção agropecuária goiana como serve de ferramenta de monitoramento para que o poder público execute melhorias na malha viária no menor prazo possível.

“O interessante desse projeto é que ele permite que a população assuma uma função fiscalizadora das rodovias, estradas e pontes estaduais. Os usuários podem, por exemplo, descrever problemas na infraestrutura de determinados trechos, com o envio de fotos e da localização exata”, explicou Lincoln Tejota, lembrando que o esforço do setor produtivo é para reduzir aproximadamente 50% do tempo necessário para execução de obras que vão garantir melhor trafegabilidade.

Schreiner lembrou que a ação otimiza o escoamento da produção e, consequentemente, diminui os prejuízos financeiros aos agropecuaristas, pois é um meio de proteger safras como a de 2019, que registrou produção recorde de quase 25 milhões de toneladas de grãos, 800 mil toneladas de carne bovina e 2,7 bilhões de litros de leite. “Índices tão expressivos podem ser comprometidos pelas condições de algumas estradas, que encarecem o frete em até 50%, para repor gastos com desgastes de veículos, atrasos e perdas no transporte de cargas”, estimou.

Fonte: www.goias.gov.br

Continue Reading
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Goiás

Governador garante que vacinas compradas para Goiás será destinada aos goianos

Published

on

Duplicidade de entendimento surgiu com a declaração de que as doses seriam disponibilizadas ao Plano Nacional de Imunização

DA REDAÇÃO

As vacinas que o estado de Goiás pretende comprar serão destinadas aos goianos. É o que garantiu a assessoria do governo do estado ao Mais Goiás. De acordo com o Palácio das Esmeraldas, as doses serão disponibilizadas ao Plano Nacional de Imunização, mas serão destinadas à população do estado integralmente.

O governo explicou que a responsabilidade pela aquisição e distribuição das vacinas é do Ministério da Saúde e que os R$ 60 milhões aprovados para a compra dos imunizantes irão incorporar com recursos de outros estados para a compra de um lote maior.

Continue Reading

Goiás

Gestores, fiscais e empresários vão responder por prejuízos em obras estaduais paralisadas

Published

on

TCE-GO exige que Goinfra elabore plano para impedir degradação de serviços realizados

DA REDAÇÃO

A paralisação de cinco obras rodoviárias em Goiás causou um prejuízo ao Estado estimado em mais de R$ 1,34 milhão no período de dezembro de 2014 a 2017, valores da época. É o que aponta auditoria realizada pelo Tribunal de Contas do Estado de Goiás, julgada nesta quinta-feira (25/fev), que determinou a instauração de cinco tomadas de contas especiais destinadas a atualização monetária dos danos, identificação dos responsáveis e exigência de ressarcimento, além da apresentação, em 30 dias, de plano de ação para impedir que as intempéries continuem danificando serviços já realizados.

A auditoria foi relatada pelo conselheiro Celmar Rech e instaurada em face de representação do Ministério Público de Contas, para apurar o grande número de obras públicas estaduais paralisadas, a cargo da então Agetop, hoje Goinfra. As inspeções, notas técnicas e relatórios foram produzidos pelo Serviço de Fiscalização de Obras e Serviços de Engenharia -Infraestrutura.

As irregularidades principais envolvem camadas de pavimento sem proteção por revestimento que se deterioraram em decorrência do abandono das obras pelas empresas contratadas, sem que a Agetop tenha aplicado sanções pela rescisão unilateral dos contratos. Foram ainda identificados pagamentos de serviços em duplicidade ou não realizados.

Os trechos auditados foram: Mairipotaba/Entroncamento BR-060, empresa Terra Forte; Crixás/Nova Crixás, Construtora Ingá ltda; Colinas do Sul/Minaçu, Engesa Engenharia S.A,, subcontratada parcialmente para Construtora Centro Leste (GO-132 trecho Colinas/Minaçu; GO-174, trecho Diorama/Entroncamento GO-326 – Montes Claros de Goiás, Terra Forte Construtora Ltda; e, GO-239, trecho Entroncamento GO-164/Divisa Goiás/MT-Bandeirantes – lote 2, Unidas Engenharia Ltda.

Processo: 201700047000595

Fonte: Assessoria de Comunicação do TCE/Goiás

Continue Reading

Goiás

Economia com folha de servidores deve chegar a mais de meio bilhão

Published

on

Já nos primeiros dois anos da atual gestão, medidas evitaram gastos indevidos de aproximadamente R$ 200 milhões aos cofres públicos

DA REDAÇÃO

Com ações de contenção de gastos sem comprometer a agenda de entregas à população, o Governo de Goiás deve economizar mais de meio bilhão de reais até 2022, apenas com a otimização do funcionamento da máquina pública. Essa é a previsão da Secretaria de Estado de Administração (Sead) que, com a rotina de controle da folha de pagamento e a atuação vigilante, espera economia de aproximadamente R$ 550 milhões até o final do ano que vem. Recursos que podem ser aplicados em políticas públicas essenciais, como saúde, educação e segurança.

Para conseguir alcançar essa cifra, o governador Ronaldo Caiado tem dado total liberdade para que a Sead adote os procedimentos necessários, como estabelecimento de ampla auditoria na folha de pagamento dos servidores estaduais, por exemplo, com propósito de identificar e eliminar distorções.

De janeiro de 2019 a dezembro de 2020, a diligência já coibiu mais de R$ 196 milhões em despesas impróprias. As medidas adotadas incluem auditoria de óbitos de servidores e devolução de empregados de empresas com disposições irregulares, além de medidas como investimento em tecnologia, que abrange a parametrização do sistema responsável pela folha.

Somente a auditoria mensal de óbitos, por meio de cruzamento de dados, resultou em uma contenção de gastos de mais de R$ 73 milhões em dois anos. Outro ponto de destaque é a performance na revisão e análise de conferência de processos de diferenças salariais, impedindo pagamento de valores indevidos que ocasionou economia de R$ 69 milhões aos cofres públicos no mesmo período. Por sua vez, as compensações de créditos de INSS relativos à remuneração recolhida aos cofres em decorrência de pagamentos bloqueados, somaram quase R$ 5 milhões devolvidos ao Estado.

O secretário da Administração de Goiás, Bruno D’Abadia, explica que o controle da folha é liderado por uma equipe qualificada de servidores efetivos da Sead, portanto, sem a necessidade de contratação de auditorias externas, o que evidencia o bom desempenho dos colaboradores de Goiás, além de simbolizar outra importante economia.

“É um salto no conceito de eficiência da gestão. Mérito de uma administração que confia nos seus servidores, e que se norteia no propósito de elevar a qualidade de vida dos cidadãos. Ações que deixarão benefícios duradouros para os goianos”, pontua o titular da pasta.

Fonte: www.goias.gov.br

Continue Reading

Destaque