Connect with us

Goiás

Estado e Ambev iniciam encontros com produtores de mandioca

Published

on

Objetivo das reuniões é expor detalhes sobre o programa, sanar dúvidas de produtores e estabelecer diálogo ainda mais próximo entre agricultores e cervejaria

DA REDAÇÃO

Agricultores familiares do interior do Estado estão recebendo orientações de representantes do Governo de Goiás e da Ambev em relação ao projeto Cerveja de Mandioca. A rodada de encontros começou na última quinta-feira (12), em Itauçu, e irá passar por diversos municípios ao longo dos próximos dias. Participaram cerca de 20 produtores de mandioca cadastrados pela Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) para fornecimento de matéria-prima para a fabricação da cerveja feita a partir da fécula da raiz.

O intuito principal das reuniões é expor detalhes sobre o programa e sanar as dúvidas dos produtores. O projeto teve início em 2020, visando favorecer agricultores familiares com a compra de mandioca, uma vez que o segmento apresenta dificuldades de comercialização em decorrência do baixo volume de produção. A compra é feita de forma direta, sem intermediários, cabendo à Emater o mapeamento e organização das famílias rurais beneficiadas.

Segundo o diretor de Assistência Técnica da Emater, Antelmo Teixeira, que foi um dos representantes no encontro em Itauçu, a rodada de reuniões é importante para estabelecer um diálogo ainda mais próximo entre os agricultores e a empresa. “A dúvida mais recorrente foi qual produtor pode ter acesso ao programa, quantidade que deve ser plantada e se a Ambev garante a compra”, afirma Antelmo. 

A cervejaria realiza contrato por safra com agricultores familiares que tenham a Declaração de Aptidão (DAP) ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), documento que funciona como uma espécie de carteira de identidade do agricultor familiar ou empreendimento familiar rural. O registro também pode ser emitido nos escritórios locais da Emater nos municípios.

Também estiveram presentes na reunião o engenheiro agrônomo da Ambev, Fábio Ferreira; pela Emater, a técnica local Maria Amabini Costa, a coordenadora regional Esmeralda de Aguiar Araújo e o assessor regional Juscimar Barroso; e o vice-prefeito de Itauçu, Clayton Pereira de Melo.

O próximo município a receber os representantes é Guapó, na tarde desta sexta-feira (12). O secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Antônio Carlos Lima Neto, e o presidente da Emater, Pedro Leonardo Rezende, irão participar da ação. Todos os encontros estão acontecendo em locais arejados, com distanciamento social e cumprindo os demais protocolos de segurança em razão da pandemia de Covid-19.

Ampliação do projeto

O Governo de Goiás e a Ambev anunciaram em janeiro deste ano a ampliação do projeto. A expectativa para 2021 é de que todos os municípios goianos participem para que seja atingida a meta de 7 mil toneladas de mandioca adquiridas da agricultura familiar. No início, a aquisição foi feita na região Nordeste, a mais vulnerável do Estado, e agora abre espaço de oportunidade de comercialização aos agricultores familiares de todas as regiões.

Além disso, serão disponibilizados R$ 847 mil para o desenvolvimento de pesquisas de melhoramento genético da mandioca e desenvolvimento de novas variedades. Os recursos foram captados da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) por meio de projeto estruturado pela Emater em conjunto com a Seapa para investimentos na Estação Experimental da Agência Goiana em Porangatu.

Um programa de melhoramento genético da raiz já está em andamento na unidade, com o objetivo de obter variedades mais produtivas, adaptadas às condições das regiões Norte e Nordeste, caracterizadas pelo baixo índice de chuvas e solo pobre em nutrientes. Os testes avançados de produtividade com os materiais que apresentarem boas características agronômicas devem ser instalados em 2022

Fonte: www.goias.gov.br

Continue Reading
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Goiás

Goiás deverá comprar 2 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19

Published

on

Metade das doses será comprada por meio do uso de R$ 60 milhões autorizados ontem na Assembleia Legislativa; outra metade será adquirida com recursos da SES, que serão remanejados no orçamento

DA REDAÇÃO

O Governo do Estado deverá adquirir dois milhões de vacinas contra a Covid-19. A compra será fracionada. Metade das doses será adquirida graças a aprovação e um projeto enviado pelo governador Ronaldo Caiado, ontem (24), à Assembleia Legislativa, onde foi solicitado o uso de R$ 60 milhões para adquirir 1 milhão de imunizantes ao custo de R$ 60,00 reais cada. O projeto já foi aprovado pelos deputados.

Caiado também disse que vai remanejar outros R$ 60 milhões no orçamento da Secretaria Estadual de Saúde para comprar mais 1 milhão de doses, totalizando dois milhões de doses nesta primeira compra após a autonomia concedida pelo STF a Estados e Municípios para comprar doses dos imunizantes.

O anúncio de novas vacinas foi feito logo após a formação de maioria no Supremo Tribunal Federal (STF) para permitir a compra dos imunobiológicos por Estados e municípios, caso a União descumpra o Plano Nacional de Imunização. A entrevista coletiva aconteceu após reunião com prefeitos, vereadores e lideranças da Região Metropolitana de Goiânia (RMG), na manhã desta quarta-feira (24/2), na antiga sede da prefeitura de Goianira, hoje Secretaria Municipal de Educação.

“Trabalho no sentido de recuperar o tempo perdido. Se essa alternativa foi dada pelo Supremo [STF], vamos atrás dela. Vamos usar todo nosso prestígio internacional, com embaixadas e contatos que temos”, pontuou Caiado.

Outros investimentos

Ontem (24), em Goianira, durante entrevista coletiva, o governador Ronaldo Caiado informou também anunciou a abertura, em março, do Hospital de Uruaçu, que pode chegar a 60 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes vítimas da doença. Outra novidade é a abertura de mais 10, em Iporá. Caiado afirmou que equipamentos já estão a caminho do município. São “10 monitores, 10 ventiladores, 40 bombas de infusão. Estamos abrindo mais leitos no Oeste goiano pela sobrecarga que lá está. São Luís de Montes Belos não deu conta de suportar”, explicou o governado, que ressaltou: “Sem o gesto egoísta de achar que qualquer aquisição será feita pensando única e exclusivamente em nós. Vocês jamais verão em mim um comportamento semelhante ao do governador do Distrito Federal”, criticou, em menção às declarações recentes do governador Ibaneis Rocha, de que vai fechar as fronteiras do DF com Goiás.

Segundo detalhou, já foi adquirido um tomógrafo de 64 canais, “o mais sofisticado que existe, da Siemens”. Ele pontuou que esse esforço vem sendo uma constante e que houve um avanço significativo, que ficará como legado para a Saúde do Estado. Foram abertos, citou, leitos em Formosa, Luziânia, Itumbiara, Jaraguá, Porangatu, entre outros. “Eu duvido que haja outra estrutura, criada em apenas um ano e meio de governo, comparável à que instalamos. Estamos dando uma resposta, em termos de musculatura, que nenhum outro governo deu. São mais de 800 leitos em Goiás, 390 de UTI só para Covid”, frisou o governador.

Conscientização

Apesar da ampliação da infraestrutura, o governador reiterou que é preciso que a sociedade se conscientize. “Precisamos entender que não temos médicos, enfermeiras, radiologistas, todo o pessoal da área de manutenção dos hospitais na mesma proporção que se tem a contaminação das pessoas hoje.”

Caiado também afirmou que, nesta semana, será repassada uma verba na ordem de R$ 24 milhões para a área de assistência social dos municípios, “ampliando a capacidade dos prefeitos de atender necessidades emergenciais”.

Continue Reading

Goiás

Goiás recebeu mais 81,8 mil doses de vacinas contra a Covid-19

Published

on

Doses da Coronavac e da Astrazeneca/Oxford chegaram ontem (24) ao estado

DA REDAÇÃO

Dois lotes de vacinas contra Covid-19 chegaram ontem (24) a Goiás. São 53 mil doses da AstraZeneca, suficientes para imunizar todos os idosos acima de 80 anos, e 28,8 mil unidades da CoronaVac. O anúncio foi feito ainda ontem nas redes sociais do governador Ronaldo Caiado.

A equipe de jornalismo da Rádio Imprensa solicitou à secretaria municipal de Saúde de Anápolis informações sobre quantas doses virão para a cidade e quais são as orientações para as pessoas que fazem parte do grupo prioritário para receber os imunizantes. A assessoria informou que ainda hoje (25) fará a divulgação dessas informações.

Vacinação

Goiás vacinou 187.456 pessoas, o que representa 2,64% da população do Estado, esse número está estagnado desde o início da semana por falta de doses para dar sequência à campanha de vacinação. Já a aplicação da segunda dose da vacina continua avançando aqui no Estado. A segunda dose já foi aplicada em 30.583 goianos.

Compra de vacinas

O governador Ronaldo Caiado enviou à Assembleia Legislativa um projeto autorizativo para destinar R$ 60 milhões de reais para comprar 1 milhão de imunizantes ao custo de R$ 60 reais cada. O projeto já foi aprovado.

Caiado também disse que vai remanejar outros R$ 60 milhões no orçamento da Secretaria Estadual de Saúde para comprar mais 1 milhão de doses, totalizando dois milhões de doses nesta primeira compra após a autonomia dada pelo STF a Estados e Municípios para comprar doses dos imunizantes.

Continue Reading

Goiás

Saneago deverá devolver valor cobrado por hidrômetros

Published

on

O equipamento, a instalação e a manutenção e conservação dos mesmos não deverão mais ser cobrados, além disso a empresa deverá devolver o valor cobrado aos usuários desde 2004 até a data da publicação da sentença

DA REDAÇÃO

O Ministério Público de Goiás obteve, no Tribunal de Justiça do Estado, confirmação de sentença que proíbe a SANEAGO de cobrar dos usuários os hidrômetros e os serviços de instalação, manutenção e conservação do mesmo.

A 6ª Câmara Cível do Tribunal, por unanimidade, conheceu e negou provimento a recurso interposto pela empresa e confirmou a sentença de mérito de primeiro grau, proferida em 2019.

Por esta decisão, a empresa também estará obrigada a restituir, de forma simples, os valores cobrados indevidamente pela instalação do hidrômetro, seja na fatura ou adquiridos pelos consumidores no mercado, desde 2004 até a data da publicação da sentença, acrescidos de juros e multa.

Em razão das decisões proferidas, a SANEAGO deverá custear ampla divulgação nos meios de comunicação sobre o seu teor, inclusive para possibilitar aos consumidores a sua liquidação e execução.

Continue Reading

Destaque