Connect with us

Brasil

Caixa comemora 160 anos como o banco de todos os brasileiros

Published

on

Banco apresenta balanço com os principais números da atual gestão

DA REDAÇÃO

A CAIXA completa 160 anos neste dia 12 de janeiro consolidada no mercado como banco de grande porte, sólido e moderno, além de ser o principal agente das políticas públicas do Governo Federal. Em um período difícil para o país, diante da pandemia do coronavírus, a CAIXA vem fazendo parte da vida dos brasileiros e atuando em temas essenciais para o desenvolvimento do País.

Somente no último ano, mais de 120 milhões de pessoas – oito em cada 10 adultos no Brasil – encontraram na CAIXA, por meio dos benefícios sociais do Governo, a ajuda necessária para atravessar um dos anos mais difíceis da história recente em todo o mundo. As famílias de trabalhadores, micro e pequenos empresários, incluindo os 38 milhões de brasileiros que não constavam em cadastros do Governo, receberam na CAIXA o Auxílio Emergencial – na maior operação de inclusão social, digital e financeira da história do país –, o Saque Emergencial FGTS e o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm), entre outros benefícios.

Consolidando o papel de banco de todos os brasileiros, o presidente da CAIXA, Pedro Guimarães, criou o CAIXA Mais Brasil, programa que percorreu todo o país em 88 finais de semana. “O CAIXA Mais Brasil, nestes quase dois anos, aproximou o banco, seus recursos e soluções das reais necessidades dos brasileiros, concretizando ações que evidenciam a principal característica social da CAIXA de levar cidadania e melhores condições de vida às pessoas que mais precisam”, explica o presidente. “Durante esse período viajando pelo país, pudemos conversar com empregados e clientes e identificamos as principais necessidades de cada região do país”, destaca.

CAIXA ao lado dos brasileiros que mais precisam

Criada pelo decreto 2.723, assinado por Dom Pedro II em 1861, a CAIXA tinha as funções de guardar “as pequenas economias das classes menos abastadas” e “emprestar, por módico juro e sob penhor, as somas necessárias para socorrer as urgentes necessidades das classes menos favorecidas da fortuna”. Desde então, o Banco da Inclusão está presente diariamente na vida de toda a população brasileira. Seja realizando o sonho da casa própria, pagando o maior prêmio da história das Loterias na Mega da Virada 2020, com R$ 325,2 milhões, ou ajudando os brasileiros quando eles mais precisam por meio dos benefícios do Governo Federal.

A CAIXA foi protagonista de algumas das principais ações sociais realizadas no Brasil recentemente, desde os 535,6 milhões de pagamentos do Auxílio Emergencial para 67,9 milhões de brasileiros e o crédito de R$ 36,5 bilhões do Saque Emergencial FGTS para 51,1 milhões de trabalhadores até o pagamento de mais de R$ 16,5 bilhões do BEm para quase cinco milhões de pessoas.

A CAIXA reforçou a liderança absoluta no mercado imobiliário, emprestando, em 2020, R$ 116 bilhões durante a pandemia e atingindo mais de meio trilhão de reais em carteira de crédito para o setor. Os mais de R$ 30 bilhões em crédito para micro e pequenas empresas (MPE), justamente no ano em que mais precisaram, mostraram também que a CAIXA é o Banco da Padaria do Seu Joaquim, emprestando para mais de 300 mil MPE.

Hoje, a CAIXA comemora mais 160 anos de vida com o resgate de sua vocação inicial, idealizada em 1861 com a fundação da Caixa Econômica e Monte Socorro, de ser o banco de todos os brasileiros, que atende desde pequenos empreendedores de Breves, no Pará, até clientes e beneficiários dos programas sociais de Juazeiro do Norte, no Ceará, com impacto real na vida de todos os cidadãos dos mais de 5,5 mil municípios do país.

CAIXA ao lado de seus clientes

A CAIXA segue ao lado dos brasileiros mantendo a maior capilaridade das instituições financeiras do país, com 25 mil pontos de atendimento físico direto ao cidadão: 3.372 agências, 788 postos de atendimento, 8,8 mil correspondentes bancários CAIXA Aqui, 13 mil unidades lotéricas, além de duas agências-barco e oito agências-caminhão espalhadas pelo Brasil.

O banco vem consolidando seu movimento de transformação digital, oferecendo comodidade e acessibilidade aos clientes, principalmente os mais necessitados. E isso incentiva a bancarização. Das 105 milhões de contas digitais do maior Banco Digital do Hemisfério Sul, somente em 2020, 35 milhões foram criadas para pessoas que não tinham conta bancária.

Por meio do PIX, os clientes do banco agora podem transferir valores entre contas de forma segura, fácil e em tempo real. Já foram cadastrados mais de 30 milhões de CPFs únicos pelo aplicativo CAIXA e pelo Internet Banking. Todas as contas digitais criadas em 2020 podem cadastrar suas chaves pelo CAIXA Tem. Em operação totalmente digital, o aplicativo foi baixado 298,4 milhões de vezes. Pelas compras na internet e nas maquininhas com QR Code, o CAIXA Tem movimentou R$ 51 bilhões no ano passado.

A CAIXA foi destaque na liberação de recursos para as linhas de crédito emergenciais, conquistando o primeiro lugar entre as instituições financeiras com market share de 25% e foi a primeira instituição a operar com o Pronampe. Além disso, democratizou o acesso ao crédito com recursos disponibilizados a clientes e não clientes, com a simplificação dos processos para contratação. A CAIXA disponibilizou também a possibilidade de pausa no pagamento das parcelas de suas principais linhas de crédito para pessoas físicas e jurídicas, desonerando o orçamento das famílias e empresas brasileiras.

O banco promoveu reduções das taxas de juros de diversas linhas de crédito para pessoa física, com destaque para o cheque especial, que, atualmente, possui taxa a partir de 1,89% a.m., uma das menores do mercado para o produto. Foi, ainda, a primeira instituição financeira a disponibilizar a antecipação do Saque Aniversário do FGTS, com taxa de 0,99% a.m., também uma das mais baixas cobradas atualmente.

Para esta ocasião de aniversário, clientes dos Cartões CAIXA que transferirem, na terça-feira (12/01), os pontos do cartão de crédito poderão conseguir até 160% de bonificação, variando de acordo com a regra de cada programa parceiro do Programa Pontos CAIXA.

CAIXA ao lado das cidades brasileiras

O Brasil conta com a CAIXA para crescer. O Banco da Infraestrutura tem um portfólio amplo e diversificado, atuando fortemente em projetos por todo o país. Em alinhamento à política do Governo Federal, em 2020, a CAIXA ampliou sua atuação na estruturação de Concessões e Parcerias Público-Privadas em apoio aos entes subnacionais como medida para aquecimento do setor de infraestrutura urbana.

A carteira conta com 34 projetos em execução: cinco projetos-piloto de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), dois de Drenagem Urbana (DRE), três projetos de Esgotamento Sanitário (ES), um de Saneamento Básico (SA) e 23 projetos de Iluminação Pública (IP).

Para 2021 estão previstas cinco licitações para o setor de IP, quatro licitações para RSU e três para os setores de esgotamento. Além disso, a carteira deve ser ampliada com previsão de mais 56 inciativas em IP, 23 em RSU, 12 em Saneamento e dois pilotos de Unidades Socioeducativas.

Em novembro do último ano, o banco lançou outra iniciativa: o CAIXA Mais Saúde, desdobramento do CAIXA Mais Brasil. O objetivo do novo programa é levar soluções e acompanhar de perto a realidade das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAEs), hospitais, santas casas, lixões e aterros sanitários.

Construindo a base para mais 160 anos

Para ajudar as finanças dos brasileiros, a CAIXA alia a vocação de ser o principal banco social do país com os recordes de lucro. Para isso, o Banco da Matemática implementou medidas de governança para fortalecer seus desempenho e eficiência, potencializando os resultados econômicos-sociais. Nos últimos dois anos, foram devolvidos 69 prédios alugados. A mesma medida vai permitir a doação de 64 mil itens de mobiliários para entidades assistenciais de todo o Brasil, entre cadeiras, gaveteiros, armários e mesas, todos em boas condições de utilização. A iniciativa faz parte de uma série de ações que marcam a comemoração dos 160 anos.

Com mais de 240 mil colaboradores e cerca de 82 mil empregados, a CAIXA promoveu, nesta gestão, a maior convocação de pessoas com deficiência (PCDs) para assumirem postos de trabalho em uma empresa pública. De forma inédita, 3.465 pessoas com deficiência estão incorporadas ao quadro efetivo, com condições para todos alcançarem cargos de chefia.

Além disso, continuamente a CAIXA promove medidas de equidade, aumentando consideravelmente o equilíbrio de gêneros em postos de direção. Hoje a liderança feminina é uma realidade dentro da CAIXA que tende a aumentar cada vez mais, mostrando que a empresa também é o Banco da Meritocracia.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Caixa

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Brasil

Balanço comercial tem melhor saldo da história e bate recorde de exportações

Published

on

País exportou cerca de US$ 10 bilhões a mais do que importou. Setores com maiores crescimentos foram da agropecuária e da indústria

DA REDAÇÃO

A balança comercial registrou o melhor saldo da história para meses de abril. No mês passado, o país exportou cerca de US$ 10 bilhões a mais do que importou, tendo um saldo maior do que em abril de 2020 em 67,9%. As exportações no último mês somaram mais de US$ 26 bilhões e bateram recorde para todos os meses desde o início da série histórica em 1989.

No início da pandemia da Covid-19 em abril de 2020 as exportações caíram por causa das medidas de restrição social, portanto, além da recente alta no preço, outro motivo que levou ao aumento das exportações foi a base de comparação. Com o resultado de abril, a balança comercial acumula superávit de mais de US$ 18 bilhões nos quatro primeiros meses do ano, um resultado 106,4% maior que o do mesmo período de 2020.

Os setores que mais registraram crescimento nas vendas para o exterior foram as exportações agropecuária, com 44,4%, e da indústria com aumento de 73,2% em relação ao ano passado.


Fonte: Brasil 61

Continue Reading

Brasil

Cresce o número de famílias com dívidas em atraso

Published

on

Resultado é o mais alto desde agosto de 2020. Segundo os dados da CNC, o cartão de crédito é utilizado como principal modalidade de dívida

DA REDAÇÃO

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou nesta terça-feira (4), dados que mostram que a parcela de famílias com dívidas em atraso cresceu para 67,5% em abril deste ano. Em março, o percentual foi de 67,3%. O resultado deste último abril é o mais alto desde agosto de 2020, quando também se registou o mesmo percentual atual.

Outro dado divulgado foi em relação à parcela de famílias que não terão condições de pagar as suas dívidas, atingindo 10,4%, valor abaixo do ponto totalizado no mês passado, mas acima dos 9,9% de abril de 2020. Já o tempo médio de comprometimento com dívidas entre as famílias foi de cerca de 6 meses, enquanto o tempo de atraso na quitação das mesmas atingiu quase 62 dias, o menor prazo desde julho de 2020.

Ainda segundo a CNC, o cartão de crédito é utilizado como principal modalidade de dívida e o seu percentual de uso voltou a crescer, chegando a um novo recorde de 80,9% do total de famílias.


Fonte: Brasil 61

Continue Reading

Brasil

IBGE: produção industrial sofre segunda queda consecutiva

Published

on

Pesquisa aponta que 15 das 26 atividades industriais tiveram queda na produção

DA REDAÇÃO

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) liberou os dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM) referente à produção industrial brasileira. Os números mostram recuo de 2,4% na passagem de fevereiro para março, resultando na segunda queda consecutiva registrada neste ano.

Quinze das 26 atividades industriais pesquisadas tiveram queda na produção de fevereiro para março, sendo o setor de veículos automotores, reboques e carrocerias o mais afetado, com queda de 8,4%. Também houve recuo expressivo no setor de confecção de artigos do vestuário e acessórios, caindo 14,1%.

Já entre os 11 setores com crescimento, os principais destaques foram as indústrias extrativas (5,5%), outros equipamentos de transporte (35%) e produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (1,7%).


Fonte: Brasil 61

Continue Reading

Destaque