Connect with us

Goiás

Caiado explica opção pelo isolamento social

Published

on

Governador disse que é preciso evitar que mais goianos morram pela Covid-19, que é importante seguir o que preceitua a ciência e que são os governos federais que negociam a compra de vacinas com os laboratórios

DA REDAÇÃO

Entrevistado desta sexta-feira, dia 19, no Jornal Brasil Central, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, esclareceu a população sobre a questão da compra da vacina contra a Covid-19, observando que os governos federais têm prioridade. Explicou também sobre a importância do decreto do Governo de Goiás para o isolamento social e pediu a compreensão da população nesse momento crítico da doença, reiterando que não vai trocar a vida por voto e que neste momento é importante que as pessoas não se aglomerem, para evitar a propagação dessa nova variante do vírus, que é mais contagiosa e letal.

Sobre as vacinas, disse que o assunto precisava ser bem esclarecido para não ficar dando margem a especulação. “Os laboratórios produtores do insumo, o IFA, para a fabricação da vacina, têm contratos com vários países. A produção não é suficiente para atender à demanda. O Brasil ficou dependente do governo chinês, porque tanto a Fiocruz (que produz a AstraZeneca), quanto o Butantan (CoronaVac), precisam do IFA para transformar em vacina.

As tratativas estão sendo feitas com governos e laboratórios, que têm interesse de fazer convênios com governos federais. Então, as ações são entre governos federais e demais laboratórios. O governo brasileiro já tem as vacinas da AstraZeneca e CoronaVac e está em tratativas com a Sputnik V e a Pfizer e Jansen”, assinalou.

Compra da vacina

Segundo Caiado, criou-se uma ideia de que prefeituras, empresas pudessem comprar vacina e que isso não é uma realidade. “O Fórum dos governadores está articulado para que todas as vacinas que entrarem no Brasil sejam distribuídas para todos os brasileiros, de acordo com a faixa etária e é o que está acontecendo hoje no Programa Nacional de Imunização”, afirmou, acrescentando que estão aparecendo intermediários e pessoas que se apresentam como grandes vendedores de vacina, mas que estão blefando.

“Temos que ter cautela e grande responsabilidade. Estamos numa ação conjunta, solicitando presidente dos Estados Unidos, que conseguiu avançar na vacinação em seu país e tem um estoque hoje que é três vezes maior do que a população americana. Já tem parceria com Canadá e México e nós governadores estamos, neste momento, solicitando para que o Brasil possa entrar nessa parceria e receber também um percentual significativo, já que o quadro no Brasil é grave, com essas novas variantes que estão surgindo”, explicou Ronaldo Caiado.

Medidas

O governador disse que hoje pela manhã fez uma reunião com todos prefeitos e prefeitas de Goiás e repassou a eles 28 milhões de reais, do Governo de Goiás, para ações de assistência social, para investimento em seus municípios, que podem ser em cestas básicas e no que for mais necessário. Informou que o Governo de Goiás está adquirindo mais 250 mil cestas básicas, liberando 112 milhões de reais, para empréstimos a custo zero ao pequeno empresário. “A vacina é o objetivo principal, todo mundo deseja. Agora, até a vacina chegar, nós precisamos do isolamento social, para diminuir a taxa de contaminação e os óbitos no nosso estado”, assegurou.

Perguntado sobre a medida tomada pelo prefeito de Aparecida de Goiânia de não seguir o decreto do governo do Estado, Caiado disse que viu com “muita preocupação, porque foi o prefeito de Aparecida que veio ao meu gabinete, pediu para que o prefeito de Goiânia viesse junto, porque a situação em Aparecida era calamitosa, pediu nossa ajuda e propôs o fechamento, usando até a palavra ‘lockdown’. Ora, se a contaminação está aumentando, por que sair do isolamento? É uma decisão sem base científica”.

Disse que não sabia quais forças empresariais fizeram com que ele tivesse essa mudança de comportamento, quebrando uma regra e que está provocando o maior número de contaminação do Estado de Goiás. “Sinceramente, isso vai exigir que ele no futuro explique esse gesto negacionista dele neste momento”, ponderou, acrescentando que fica claro que a atitude dos que não quiseram seguir a base científica. Pregada pelo decreto, é uma vertente de querer ser simpático, “em busca de apoio de votos do que comprometidos em salvar vidas. Essa é a verdade nua e crua. É triste assistir situações como essa”.

Não gera crise

Caiado observou também que as medidas do decreto do governo estadual não geram crise: “Não podem imputar ao decreto a situação de crise econômica. A crise é em decorrência do vírus, essa é a realidade. Tanto é que Goiás, depois da primeira onda, saiu em primeiro lugar em geração de emprego e na produção industrial. Fizemos um decreto no dia 12 de março de 2020 e que as pessoas falavam e faziam essas críticas. Essas mesmas viúvas falavam exatamente isso, vai desindustrializar Goiás, todo mundo vai ficar desempregado, a crise será o colapso de Goiás. Nós tomamos as medidas com base científica, alongamos o perfil da curva, estruturamos a regionalização da saúde, saímos da primeira onda. E nosso estado teve o maior número de indústrias instaladas em toda a história de Goiás”.

Confirmou que Goiás é hoje o primeiro lugar no Caged, no Centro-Oeste, e quarto lugar no país, dados de janeiro, em geração de emprego com carteira assinada. “Promovemos, ao mesmo tempo, com a Secretaria da Retomada, uma política para alicerçar os pequenos e micro empresários, os individuais, como também a área do turismo, do lazer, da cultura, para que fossem resgatados. E você vê que Goiás respondeu como exemplo para o Brasil todo. A segunda onda vamos tratar da mesma maneira, pedindo a compreensão da população, agora com uma dificuldade maior, porque o vírus é muito mais transmissível e mais letal. Vamos conseguir tirar o Estado dessa segunda onda e se reerguendo rapidamente, numa velocidade maior do que a média nacional”, observou.

Hospitais e leitos

Disse também que não fechou nenhum leito em Goiás e muito pelo contrário recebeu o governo com 259 leitos de UTIs em apenas três cidades, Anápolis, Goiânia e Aparecida de Goiânia, e hoje há 21 cidades com leitos de UTI e enfermaria, num total de 3.100 leitos, sendo 800 de UTI. Fez a ressalva de que o único hospital desativado foi o de Águas Lindas de Goiás, que era do governo federal, e que Goiás recebeu o ultimato para retirar o que tinha do Estado lá porque ele seria desmontado em outubro do ano passado, uma decisão do governo federal.

Sobre o transporte coletivo, perguntado por um telespectador, respondeu que o governo do Estado está distribuindo máscara, pedindo para que seja disponibilizado álcool em gel nos pontos de ônibus e que vai iniciar uma fiscalização, a partir de domingo, para que o transporte seja utilizado nos horários de pico apenas por aqueles que trabalham nas atividades essenciais. Sobre os remédios propagados para combate à Covid-19, informou que as revistas científicas estão tratando isso como antiético.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Goiás

Vacinação de professores em Maio ainda não está garantida

Published

on

Depois da decisão do STF de suspender a vacinação dos profissionais de segurança pública, o Estado de Goiás busca autorização no Ministério da Saúde para dar sequência ao plano próprio de vacinação

DA REDAÇÃO

O Estado de Goiás espera receber, nos próximos dias, o aval do Ministério da Saúde para dar prioridade ao grupo de professores na vacinação contra o coronavírus. Segundo o Plano Nacional de Vacinação da Covid-19, outros grupos, como população privada de liberdade estão à frente dos educadores na fila de espera.

Na justificativa, o Governador Ronaldo Caiado afirma que as aulas precisam retornar o quanto antes e, para isso, os trabalhadores da Educação precisam ser vacinados ainda no mês de maio. Porém, o estado depende de autorização do Ministério da Saúde.

Nesta semana o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, determinou a suspensão da imunização dos profissionais de Segurança Pública e Salvamento em Goiás e ordenou que o Estado cumpra o Plano Nacional de Imunização.

Continue Reading

Goiás

Vestibular da UEG será realizado no dia 30 de maio

Published

on

Provas, que estavam previstas para 21 de março, foram adiadas devido ao agravamento da pandemia de Covid-19

DA REDAÇÃO

A Universidade Estadual de Goiás (UEG) escolheu o dia 30 de maio para a realização das provas do Vestibular UEG 2021/1, e do Processo Seletivo Especial para Refugiados e Portadores de Visto/Acolhido Humanitário 2021. O certame, que estava marcado para o dia 21 de março, foi adiado em razão do agravamento da pandemia de Covid-19.

As provas serão aplicadas de forma presencial, respeitando todos os protocolos de biossegurança para evitar a contaminação pelo coronavírus. A UEG informa que, dez dias antes da data prevista para a prova, será realizada uma nova consulta, junto à Secretaria de Estado de Saúde de Goiás (SES), sobre a viabilidade sanitária para a realização do certame. A consulta visa garantir que o processo seletivo ocorra da forma mais segura possível, dentro do contexto da pandemia.

O edital do Vestibular 2021/1 e o cronograma retificado podem ser acessados no endereço: www.estudeconosco.ueg.br. Os interessados também podem solicitar mais informações pelo email: ns@ueg.br.

Fonte: www.goias.gov.br

Continue Reading

Goiás

Caiado assina protocolo de intenções para instalação, em Anápolis, da Agência Empresarial dos Correios

Published

on

Objetivo da unidade é oferecer atendimento personalizado aos empresários do polo logístico do Daia

DA REDAÇÃO

O governador Ronaldo Caiado e o presidente dos Correios, Floriano Peixoto Vieira Neto, assinam na próxima sexta-feira (07/05), às 10h, um protocolo de intenções para a instalação de uma agência especializada no atendimento a empresas no Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), importante estrutura que compõe o Polo Logístico do Estado. O evento será realizado no Salão Dona Gercina Borges do Palácio das Esmeraldas com transmissão ao vivo pelas redes sociais do Estado.

A parceria para implantação da nova agência dos Correios é coordenada pela Secretaria-Geral da Governadoria (SGG) e marca a etapa inicial do projeto que pretende fazer de Anápolis o maior polo logístico do país. O município, localizado entre Goiânia e Brasília, está no entroncamento de importantes vetores logísticos nacionais, como o Porto Seco Centro-Oeste, a Ferrovia Centro-Atlântica e a Norte-Sul. Além do Aeroporto Internacional de Cargas e as BRs 153 e 060.

A Agência dos Correios do Daia atenderá toda a região, com foco em pessoa jurídica, já que possuirá estrutura especializada para esse perfil de clientes. A unidade deve ser inaugurada nos próximos meses e contará com espaço de 1.100 m², amplo estacionamento, além de área para carga e descarga de encomendas.

Serviço

Assunto: Governador Ronaldo Caiado assina protocolo de intenções para instalação da Agência Empresarial dos Correios, em Anápolis

Quando: Sexta-feira (07/05), às 10h

Onde: Salão Dona Gercina Borges, Palácio das Esmeraldas, Praça Cívica, Goiânia (GO)

Fonte: www.goias.gov.br

Continue Reading

Destaque