Connect with us

Anápolis

APAE Anápolis atua por mudança importante no Teste do Pezinho

Published

on

Proposta em tramitação na Câmara dos Deputados quer ampliar, em todo o país, o número de doenças identificadas por meio do Teste do Pezinho

Claudius Brito

Um Projeto de Lei de autoria do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS), pode tornar obrigatória a triagem neonatal, feita com o conhecido Teste do Pezinho, na rede pública de saúde do País. O PL nº 5043/20, em tramitação na Câmara Federal, insere o dispositivo no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Atualmente, no âmbito do SUS, o Teste do Pezinho, realizado através de amostra de sangue coletado no calcanhar do recém-nascido, tem uma versão que detecta situações associadas a, apenas, seis doenças.

O projeto – que ainda não tem data para ser votado – propõe que o SUS possa ofertar o teste que já é disponibilizado por instituições privadas e que tem a capacidade de identificar condições associadas a 53 doenças, muitas delas consideradas raras. Número esse que, inclusive, conforme aponta o autor, pode, até, vir a aumentar em decorrência de avanços tecnológicos.

“De acordo com o princípio da equidade, a triagem neonatal deve ser universal, não sendo aceitável a oferta diferenciada dentro de um mesmo país de painéis diferenciados”, afirma o deputado Dagoberto Nogueira (PDT-MS), na defesa de sua propositura.

Estima-se que 13 milhões de pessoas tenham doenças raras no Brasil. Estudos indicam, segundo o parlamentar, que o atendimento da criança diagnosticada precocemente custa o equivalente a 1/5 de um eventual tratamento sem diagnóstico.

APAE Anápolis

O presidente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Anápolis, Vander Lúcio Barbosa, ressalta que a instituição está atenta a esta necessidade e tem trabalhado junto à bancada de deputados que estão mais próximos dela, visando debater a importância da medida, ou seja, a extensão da oferta de exames, com maior capacidade de identificação de doenças, por meio do Sistema Único de Saúde.

Conforme destacou Vander Lúcio, essa questão já foi debatida com vários parlamentares goianos da bancada federal, dentre eles: Zacharias Calil (que é médico); José Mário; Rubens Otoni; Célio Silveira; Adriano Avelar e Major Vitor Hugo, dentre outros. Entre os deputados estaduais, o presidente da Apae destaca os três anapolinos: Amilton Filho, Coronel Adailton e Antônio Roberto Gomide, além do republicano Cairo Salin.

Atualmente, assinala Vander Lúcio, a instituição é referência no Teste do Pezinho para Goiás e Mato Grosso. “Estamos preparados para ampliar nossa capacidade de seis para outro patamar, projetamos a possibilidade de chegar, com a ampliação dos exames, até 53 diagnósticos de doenças raras. Será um avanço muito grande”, enfatizou o presidente.

Ainda de acordo com o presidente da APAE Anápolis, alguns estados brasileiros, entendendo a importância desta medida, saíram na frente e estão bancando os custos de versões ampliadas do exame capazes de detectar uma lista muito maior de patologias, além das seis doenças do teste básico.

Conforme citou: Paraná; Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraíba já sancionaram lei de ampliação recentemente e se preparam, agora, para colocarem em prática e fazer gratuitamente o exame mais completo. Em São Paulo, Capital, o exame, também, foi ampliado e já é ofertado aos recém-nascidos para o diagnóstico de 50 doenças.

Valor

Questionado sobre a oportunidade de que o projeto possa agregar uma emenda visando corrigir os valores que o SUS repassa às instituições, como a APAE Anápolis, por exame realizado, Vander Lúcio disse que é possível, sim, trabalhar algo nesse sentido e esta é, também, uma pauta que já vem sendo trabalhada junto à classe política goiana.

“É importante dizer que os valores mal dão para cobrir os exames, pois os serviços custam muito mais. No caso de nossa instituição, não realizamos apenas os exames. Nosso trabalho vai além disso”, ponderou o presidente da APAE Anápolis, acrescentando que se trata de um procedimento, de fato, de triagem neonatal no qual o Teste do Pezinho é um dos componentes.

“Há casos em que a APAE acompanha o bebê diagnosticado por algum tipo de doença rara até a sua cura e, em algumas situações, chegando até na fase adulta da pessoa”, acrescenta Vander Lúcio.

Ainda, segundo ele, em Goiás os deputados estaduais já sensibilizados com a necessidade de implantação de versões ampliadas do exame, já se movimentam para a apresentação de medidas que permitam ao Governo de Goiás, assim como o de outras unidades da federação, possa, também, unir esforços na ampliação do Teste do Pezinho. “O governador Ronaldo Caiado (que é médico), também, manifestou em algumas ocasiões que, desde quando foi deputado federal e senador, tem atuado em prol de ações voltadas à atenção para as doenças raras”, lembrou Vander Lúcio.

(Com informações da Agência Câmara)

Continue Reading
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anápolis

Igrejas não deverão abrir durante o novo decreto municipal

Published

on

O decreto vale por 10 dias como medida para conter o avanço do novo coronavirus

Por Priscila Marçal

Os templos religiosos e filosóficos de Anápolis não poderão abrir durante a validade do novo decreto municipal, publicado ontem pelo prefeito Roberto Naves. A medida começa a valer hoje (5), às 19h.

Devido às novas recomendações, muitas igrejas estão se preparando para fazer a transmissão online de um culto menor, sem fieis presentes. Essa medida já havia sido adotada no ano passado, durante o primeiro lockdown em Anápolis e foi aperfeiçoada ao longo desse período.

Outros pastores, de igrejas menores, preferem enviar em grupos de WhatsApp mensagens em áudio, uma espécie de sermão reduzido, como alternativa de não deixar os fieis desamparados durante a validade do decreto.

O decreto Nº 46.104 esclarece o que deve abrir na cidade e como deverá ser o funcionamento desses estabelecimentos. Não é citado o que deverá permanecer fechado neste período, mas a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Anápolis esclareceu que qualquer setor ou atividade não mencionado no decreto deverá permanecer fechado neste período de 10 dias. Isso envolve igrejas, academias, salões de beleza e demais setores omitidos no documento.

O novo decreto vale até o dia 15 de março.

Continue Reading

Anápolis

Confira o que pode abrir durante o lockdown de Anápolis

Published

on

Ontem o prefeito Roberto Naves publicou o decreto excepcional, que suspende 10 dias a matriz de risco e estabelece regras específicas para conter o novo Coronavírus

Por Priscila Marçal

Começa a valer hoje (5), às 19h, o novo decreto municipal que estabelece uma espécie de lockdown em Anápolis. A medida foi anunciada ontem pelo prefeito Roberto Naves, que explicou que a Matriz de Ricos será suspensa por 10 dias, período em que vai valer o decreto Nº 46.104, publicado ontem (4).

O decreto esclarece o que deve abrir na cidade e como deverá ser o funcionamento desses estabelecimentos. Não é citado no decreto o que deverá permanecer fechado neste período, mas a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Anápolis esclareceu que qualquer setor ou atividade não mencionado no decreto deverá permanecer fechado neste período de 10 dias. Isso envolve igrejas, academias, salões de beleza e demais setores omitidos no documento.

O novo decreto vale até o dia 15 de março. Confira abaixo o que poderá abrir nesse período:

DECRETO Nº 46.104, DE 04 DE MARÇO DE 2021:

Art. 1º. Determina a suspensão das atividades econômicas e não econômicas a partir das 19h00min do dia 05 de março de 2021 até as 04h00min do dia 15 de março de 2021, no âmbito do município de Anápolis/GO.

§1º. Para efeitos deste artigo consideram-se as atividades que poderão continuar com seu funcionamento:

I – Estabelecimentos de saúde relacionados a:

  1. Atendimento de urgência e emergência;
  2. Unidades de hematologia e hemoterapia;
  3. Unidades de oncologia, neurocirurgia, neurologia, intervencionista, pré-natal, terapia renal substitutiva, psiquiatria e reabilitação;
  4. Atendimento à urgências e emergências odontológicas;
  5. Farmácias e drogarias;
  6. Clínicas de Vacinação;
  7. Clínicas de imagem;
  8. Serviços de testagem para COVID-19;
  9. Laboratórios de análises clínicas.

II – Cemitérios e Funerárias;

III – Distribuidores e revendedores de gás e de combustíveis;

IV – Estabelecimentos de comércio varejista e atacadista de produtos alimentícios, ficando autorizado o funcionamento ao público das 06h00min a 00h00min, limitando-se a estes a entrada de apenas um membro por núcleo familiar:

  1. Supermercados, hipermercados e mercearias;
  2. Distribuidora de água;
  3. Açougues e peixarias;
  4. Laticínios e frios;
  5. Frutarias e verduras;
  6. Panificadoras, padarias e confeitarias; sendo estas somente para retirada no local ou modalidade delivery

V – Hospitais veterinários e clínicas veterinárias, somente para urgências e emergências;

  1. Estabelecimentos comerciais de fornecimento de insumos e gêneros alimentícios e de higiene animal, apenas na modalidade delivery.

VI – Estabelecimentos comerciais que atuem na venda de produtos agropecuários, apenas na modalidade delivery.

VII – Agências bancárias e casas lotéricas, conforme disposição na legislação federal;

VIII – Estabelecimentos industriais de bens relacionados à saúde, higiene e a alimentação humana.

IX – Estabelecimentos industriais de bens relacionados à saúde, higiene e a alimentação animal.

X – Estabelecimentos industriais de insumos e/ou produtos para as atividades de agricultura e de pecuária.

XI – Estabelecimentos de indústrias de automobilismo, devendo funcionar com a capacidade máxima de até 30% (trinta por cento).

XII – Serviços de call center, restritos às áreas de segurança, alimentação, saúde, telecomunicação e de utilidade pública.

XIII – Segurança pública e privada.

XIV – Empresas privadas de transporte, incluindo as de aplicativos, táxis, transportadoras, motoboy e delivery.

XV – Empresas de saneamento, energia elétrica e comunicação.

XVI – Empresas que atuam como veículo de comunicação.

XVII – Hotéis e pousadas, apenas com o limite de capacidade de até 50% (cinquenta por cento).

XVIII – Estabelecimentos que estejam produzindo, exclusivamente, equipamentos e insumos para auxílio no combate à pandemia da COVID-19.

XIX – Assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;

XX – O suporte, a manutenção e o fornecimento de insumos necessários à continuidade dos serviços e obras públicas da indústria de alimentos e da indústria farmacêutica; e as obras privadas relacionadas à área da saúde.

XXI – Restaurantes, lanchonetes e similares, apenas na modalidade delivery, com entregas ao destino do consumidor até a 00h00min.

XXII – Restaurantes e lanchonetes localizadas as margens da rodovia, que estejam no perímetro territorial do município de Anápolis/GO, poderão utilizar mesas e cadeiras no limite máximo de até 30% (trinta por cento) de sua capacidade de pessoas sentadas.

XXIII – Oficinas mecânicas e borracharias situadas às margens da rodovia, que estejam no perímetro territorial do município de Anápolis/GO.

  1. As oficinas mecânicas e borracharias situadas no perímetro urbano de Anápolis/GO, poderão continuar com os atendimentos aos serviços considerados urgentes e emergentes, limitando-se ao quadro de 30% (trinta por cento) dos funcionários, inclusos nesse quantitativo os mecânicos e vendedores de peças.
  2. As oficinas mecânicas de revendas autorizadas de máquinas agrícolas caminhões e veículos, com atendimento aos serviços considerados urgentes e emergentes, limitando-se ao quadro de 30% (trinta por cento) dos funcionários, inclusos nesse quantitativo os mecânicos e vendedores de peças.

XXIV – Autopeças, exclusivamente na modalidade delivery, mantendo-se presencialmente o quantitativo de até 30% (trinta por cento) dos funcionários.

XXV – Cartórios extrajudiciais, desde que observadas as normas editadas pela Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás.

XXVI – Serviços de: coleta, varrição, tratamento de lixo urbano, tapa-buraco, iluminação pública, jardinagem, manutenção e conservação do patrimônio público.

§2º. Em qualquer situação o funcionamento das atividades deverá obedecer rigorosamente a todos os protocolos, notas técnicas e demais normativas vigentes e em especial:

I – A obrigatoriedade, quando no exercício de suas atividades, na prestação de serviços ou quando saírem de casa, que todas as pessoas, os trabalhadores, os clientes, pacientes, visitantes ou usuários façam uso de proteção facial por meio de máscaras adequadas, conforme a atividade desenvolvida, emprego pretendido e as normativas sanitárias vigentes;

II – Não formação de aglomerações, devendo-se manter as devidas medidas de distanciamento de no mínimo 2 metros entre pessoas.

III – Manter as medidas de isolamento social quando da apresentação de sintomas gripas, da suspeita ou confirmação da COVID-19. IV – Das medidas de higienização de ambientes, superfícies, equipamentos, mobiliários e demais com produtos e em frequência adequada;

V – Outras medidas exaradas pelas autoridades sanitárias competentes que tenham por móvel a contenção do avanço da pandemia e do cumprimento das medidas elencadas neste decreto.

§3º. Durante o período de que trata o caput deste artigo, os atendimentos presenciais da Administração Pública Municipal permanecerão suspensos à população, devendo ser estabelecido o trabalho presencial de forma escalonada aos servidores, conforme regulamento específico emitido pela Secretaria Municipal de Governo e Recursos Humanos, exceto da Secretaria Municipal de Saúde que editará norma específica sobre a questão.

§4º. Em virtude do disposto no §3º deste artigo, ficam suspensos os prazos processuais para manifestação, impugnação ou interposição de recursos pelos administrados, interessados ou contribuintes nos processos administrativos no âmbito da Administração Pública Direta e Autárquica.

§5º. Não se aplica a suspensão aos prazos de que trata o §4º deste artigo: I – Aos atos de tramitação dos processos licitatórios e administrativos de competência dos órgãos e das entidades da Administração Pública, permanecendo regulares seus respectivos atos técnicos, despachos, pareceres e decisões.

§6º. As sessões de órgãos colegiados ou de julgamento perante os órgãos e entidades da Administração Pública Municipal, deverão acontecer de forma on-line, desde que não haja afronta à legislação Estadual e/ou Federal.

§7º. O funcionamento das repartições estaduais e federais, localizadas no município de Anápolis/GO, obedecerão às regras específicas das respectivas esferas de governo.

Art. 2º. Caberá à Secretaria Municipal de Saúde, por meio do órgão de Vigilância Sanitária e de Posturas, auxiliadas pela Policia Civil e Militar, realizarem os atos fiscalizatórios contidos neste Decreto. Parágrafo Único. As autoridades públicas investidas do poder fiscalizatório devem quando necessário promover a aplicação das penalidades competentes.

Art. 3º. A partir da vigência deste decreto, fica terminantemente proibida a formação de aglomeração de pessoas, entendendose como tal as definições e previsões contidas na Lei Municipal nº 450 de 10 de julho de 2020.

Art. 4º. O Transporte Coletivo Urbano continuará funcionando regularmente, sendo vedada a alteração de escala e a redução do número de ônibus, horários e linhas.

Art. 5º. Ficam suspensas as disposições expressas no Decreto Municipal nº 46.057 de 18 de fevereiro de 2021, pelo período da vigência do presente decreto.

Art. 5º. Este decreto entra em vigor às 19h00min do dia 05 de março de 2021.

Continue Reading

Anápolis

Anápolis registra 11 mortes por Covid-19 nas últimas 24h

Published

on

Este é um dos maiores números registrados em apenas um dia desde o início da pandemia

Por Priscila Marçal

A Secretaria Municipal de Saúde de divulgou agora há pouco os números atualizados de infecção por Covid-19 aqui em Anápolis. Foram 11 óbitos registrados apenas nas últimas 24h, subindo para o total de 516 mortes desde o início da pandemia. Este é um dos maiores números registrados em apenas um dia aqui na cidade. Entre as vítimas, estão dois jovens de 32 anos.

Chama atenção, também, a quantidade de novos casos confirmados, foram 205 em 24h. Agora Anápolis totaliza 24.516 pessoas que já tiveram ou ainda tem a Covid-19.

Esta tem sido uma das piores semanas desde o início da pandemia. O mês de março começou na segunda-feira e, desde então, 936 novos casos já foram diagnosticados. Foram 22 mortes registradas só neste mês.

A preocupação com a ocupação dos leitos de UTI aumenta, apenas 10 estão disponíveis atualmente (confira o gráfico abaixo).

Confira o Boletim divulgado pelas SEMUSA nesta quinta-feira (04):

Divulgados nesta quinta-feira, 04, os seguintes óbitos de pacientes moradores de Anápolis por Covid-19: uma mulher de 65 anos que faleceu no dia 27; um homem de 32 anos que foi a óbito no dia 28; um homem de 74 anos e uma mulher de 82 anos, que faleceram no dia 01; quatro homens de 32, 54, 65 e 80 anos, que foram a óbito no dia 02; um homem de 47 anos e uma mulher de 77 anos que faleceram no dia 03; e uma mulher de 83 anos que foi a óbito na data de hoje.

Dos 24.516 casos confirmados, 22.104 estão curados. Nas últimas 24 horas foram confirmados 205 casos, sendo 111 do sexo feminino, com idade entre 02 e 87 anos, e 94 do sexo masculino de 04 a 84 anos.

Continue Reading

Destaque