Connect with us

Anápolis

Investimentos da Enel em Anápolis chegam a R$ 100 milhões

Até 2022 estão previstos outros R$ 90 milhões em investimentos, entre construção, ampliação e modernização de subestações, manutenção corretiva e preventiva, automação da rede e obras de conexão

DA REDAÇÃO

Quando a Enel assumiu o serviço de distribuição em Goiás, Anápolis contava com três subestações de energia, sendo que duas delas (Anápolis Universitário e Jundiaí) foram inauguradas na década de 50, com equipamentos defasados que já estavam em final de vida útil e já não correspondiam mais à realidade do município no que diz respeito à demanda. Naquela época, a cidade padecia com uma duração média das quedas de energia de 28 horas. A frequência média de quedas era de 18 vezes/ano.

De 2017 para cá, muita coisa mudou. Fortes investimentos foram feitos pela Enel na rede elétrica da cidade. Uma nova subestação, a Subestação Santana, foi entregue em 2019, resultado de um investimento de R$ 25 milhões. Equipada com ferramentas de controle e operação de última geração, a subestação acrescentou 33 MVA de potência instalada ao sistema elétrico, beneficiando diretamente 170 mil clientes, quase metade da população.

Também em 2019, foi realizada a primeira ampliação da subestação que atende o Distrito Agroindustrial de Anápolis (DAIA), com a instalação de novo banco de capacitores e novos vãos e alimentadores. Esta subestação continuará recebendo melhorias: para 2021, a instalação de mais um transformador de 33,3 MVA e de outro banco de capacitores e a construção de alimentadores. No total, apenas na subestação DAIA, serão investidos cerca de R$ 30 milhões.

Em 2020, a Enel iniciou a reconstrução da subestação Anápolis Universitário, que terá sua potência dobrada (de 60MVA para 126MVA). Uma nova subestação compacta e automatizada será entregue até o ano que vem, resultado de um investimento de cerca de R$ 33 milhões.

Para a subestação Jundiaí, estão previstas para 2021 a troca de um transformador de 33,3 MVA, a construção de alimentadores e instalação de banco de capacitores; um investimento que supera R$ 20 milhões.

“Estamos transformando a rede elétrica de Anápolis em uma rede moderna e confiável, capaz de atender à demanda de uma cidade que não para de crescer. Ainda há muito a ser feito e temos investimentos planejados para os próximos anos, mas o que fizemos até agora nos permitiu uma melhora muito significativa na qualidade do fornecimento de energia para os consumidores anapolinos”, ressaltou o diretor-presidente da Enel Distribuição Goiás, José Luis Salas. Segundo ele, essa melhora se reflete na redução de 35% na duração das quedas (de 28 para 18 horas) e de 39% na frequência (de 18 para 11 vezes/ano).

De 2017 até agora, enfatizou Salas, a Enel também atuou fortemente para garantir a automação das redes, permitindo uma gestão adequada das cargas. Foram instalados em Anápolis cerca de 300 equipamentos telecontrolados (R$7,5 milhões de investimento), que permitem a identificação e isolamento de defeitos direto do Centro de Operações, bem como a transferência de cargas de acordo com a demanda. “Sem esse investimento, a queima de um transformador por causa de um raio, como aconteceu no último dia 18 de outubro, resultaria no colapso parcial do sistema. Seria impossível manter o fornecimento de energia para boa parte dos clientes do município, como conseguimos fazer com sucesso nessa ocorrência recente”, disse Salas. Isso se dá, explicou ele, porque com a automação as cargas podem ser transferidas de uma região para outra de acordo com a demanda.

Em relação à ocorrência com o transformador, a Enel rapidamente identificou o defeito ocorrido e deslocou um transformador para substituir o equipamento danificado. Equipes foram mobilizadas para atuar dia e noite na correção da falha e a distribuidora deslocou geradores para suprir as necessidades de fornecimento, além de utilizar continuamente dos equipamentos telecontrolados para fazer a gestão da demanda e evitar que a energia faltasse à população. “Toda a estrutura que foi mobilizada seria impensável no período Celg”, destacou o diretor-presidente.

Salas disse ainda que a transformação de um sistema elétrico sucateado e defasado para um sistema moderno e confiável requer muito planejamento, trabalho e investimento. “Já avançamos muito em Anápolis e estamos caminhando com rapidez no cumprimento dos compromissos firmados com os órgãos reguladores, com os governos e, principalmente, com o povo goiano e anapolino”, finalizou.

Fonte: Assessoria de Imprensa Enel Goiás

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque