Connect with us

Clima

Quando a onda de calor vai terminar?

Instituto Climatempo prevê uma frente fria para Goiás, mas só no final da semana que vem

DA REDAÇÃO

Fazer calor na primavera no Brasil, com temperaturas em torno dos 40°C, mesmo no começo da estação, não é novidade, especialmente nos estados do Centro-Oeste, do Norte e no interior do Nordeste.

 Mas quando amplas áreas do país começam a registrar temperaturas entre 40°C e 44°C,  por vários consecutivos, então temos uma situação atípica, especial e perigosa para a população que precisa ser alertada.  O calor extremo agrava os problemas causados pela falta de chuva prolongada, que é comum no país durante o inverno.

Esta intensa e grande onda de calor que se instalou sobre o Brasil nos últimos dias de setembro e no começo de  outubro do 2020 bateu recordes históricos da primavera de 2014, quando o Brasil também teve uma excepcional onda de calor.

Dentro desta onda de calor, até o dia 2 de outubro de 2020,  medições do INMET – Instituto Nacional de Meteorologia – já haviam revelado a quebra ou a equiparação de recordes históricos de calor em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e São Paulo. 

Alguns exemplos de recordes de calor extremos observados no Brasil até 2/10/2020

Cuiabá (MT): 44°C em 30/9/2020 (maior temperatura desde dezembro de 1910 e entre as 10 temperaturas mais elevadas registradas pelo INMET no Brasil)

Água Clara (MS) 44,4°C em 1/10/2020 (recorde histórico e entre as entre as 10 temperaturas mais elevadas registradas pelo INMET no Brasil)

Coxim (MS): 44,1°C em 30/9/2020(recorde histórico e entre as entre as 10 temperaturas mais elevadas registradas pelo INMET no Brasil)

Corumbá (MS):  43,4°C em 1/10/2020 (segunda maior temperatura de sua história, abaixo apenas do recorde histórico de 43,8°C de 15/11/1962 e  entre as entre as 10 temperaturas mais elevadas registradas pelo INMET no Brasil)

Goiânia (GO): 40,4°C (igualou o recorde histórico ocorrido em 17/10/2015)

São Paulo (SP): 37,1°C nos dias 30/9/2020 e 1/10/2020 (segunda maior temperatura na capital paulista desde 1943)

Lins (SP): 41,9°C em 30/9/2020

Jales (SP): 41,7°C em 30/9/2020

Bloqueio de frentes frias

A maioria das frentes frias de agosto e de setembro de 2020 foram bloqueadas no extremo sul do Brasil. O ar frio de origem polar destas frentes frias foi desviado para alto-mar, sem conseguir penetrar pelo interior do país para se misturar com o ar quente e aliviar o calor.

Sem o ar polar, o ar quente foi se intensificando sobre o país mantendo as temperaturas muito elevadas e por vários dias.

Quando o calorão vai terminar?

No fim de semana de 3 e 4 de outubro, a passagem de uma frente fria pelo Sul e pelo litoral da Região Sudeste causa queda da temperatura no Sul do Brasil, no sul e leste de São Paulo, no extremo sul de Minas Gerais e no estado do Rio de Janeiro.  Mas o ar quente continua a predominar sobre ampla área do Brasil até por volta do dia 10 de outubro.  

É a partir do dia 11 de outubro que se espera mudanças na circulação dos ventos sobre a América do Sul quebrando bloqueio que tem impedido a chegada de frentes frias ao interior do Brasil. 

O mês de outubro segue quente, mas a partir do dia 11 ou 12 de outubro teremos o calor normal para esta época e não temperaturas extremas e em amplas áreas do país, como vem sendo observado desde o fim de setembro. 

Além disso, há expectativa de pancadas de chuva durante a segunda quinzena de outubro de 2020 que vão ajudam a evitar o aquecimento extremo do ar.

Fonte: Instituto Climatempo

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anúncio Barra Lateral Posts

Destaque