Connect with us

Anápolis

Protocolo garante segurança para o transporte coletivo de Anápolis

Fetrasul lança 14 medidas que ao serem adotadas por concessionária e usuários, tornam ônibus ambientes de baixo risco para a Covid-19

DA REDAÇÃO

O transporte coletivo de Anápolis passa a contar com um protocolo com 14 medidas que dão mais segurança às viagens de ônibus na cidade, em um momento importante de retomada da economia, que reforça os cuidados de prevenção à Covid-19.

O Protocolo Transporte Seguro foi lançado pela Federação das Empresas de Transportes Rodoviários do Centro-Oeste do Brasil (Fetrasul) nesta segunda-feira, 14, em uma coletiva à imprensa local feita em ambiente virtual.

A Fetrasul reuniu estudos e pesquisas realizadas em diferentes cidades do Brasil e do mundo que comprovam que quando empresas e passageiros seguem protocolos de segurança, o transporte coletivo não é vetor de proliferação do novo coronavírus.

A partir dessa premissa, buscou se a realidade de Anápolis – e as experiências implantadas pela concessionária da cidade desde o início da pandemia – para se propor as 14 medidas de segurança (ver no final do texto) para o transporte coletivo municipal.

Representante da concessionária do transporte coletivo de Anápolis e porta voz da Fetrasul na cidade, Carlos Leão, destacou ações pioneiras, como a utilização do quartenário de amônia para a desinfecção da Estação Central, substância aprovada pela Anvisa e eficaz contra o coronavírus. 

Logo no início da pandemia, a concessionária de Anápolis teve a iniciativa de fazer pesquisas em busca de um produto eficaz para a desinfecção, em um momento em que o álcool em gel estava escasso no mercado. Chegou-se ao quartenário de amônia, que hoje é usado por diversas empresas de transporte do país.

Para Carlos, o protocolo criado pela Fetrasul representa que medidas estão sendo adotadas antes mesmo do ônibus deixar a garagem da empresa, visando dar total tranquilidade para o usuário do transporte coletivo e o funcionário do sistema. “Transporte é um direito social e fundamental, está na Constituição, portanto a responsabilidade é grande”, ressaltou.

Comprovações

Coordenador de marketing da campanha da Fetrasul e especialista em transporte público coletivo, Roberto Sganzerla foi o responsável por apresentar dados que mostram que não há evidência científica que comprove o ônibus como local de grande risco para a Covid-19.

“Um transporte público bem ventilado e o usuário com máscara é menos arriscado do que locais internos e abafados, como um bar lotado”, comparou o especialista. Segundo Sganzerla, mediação da ABNT mostra que um ônibus em movimento, com janelas abertas, tem volume para a renovação do ar 63% maior do que shoppings, bancos, aeroportos ou academias.

Estudo da USP com a Prefeitura de São Paulo, feito em agosto, revelou que há mais risco de se contaminar com o coronavírus quem mora com cinco ou mais pessoas do que quem usa transporte público. Roberto Sganzerla aponta algumas justificativas: “no ônibus há ar correndo, as pessoas não se confraternizam ou ficam sem máscara como em casa e o transporte é utilizado por um tempo específico”.

O especialista trouxe outro componente essencial, que é o papel do transporte coletivo para uma cidade. A priorização do carro em detrimento do ônibus gera poluição exagerada e outros problemas que afetam diretamente a saúde das pessoas, gerando custos que rivalizam com os da pandemia. “O transporte é essencial, se ele parar, a cidade para”, ressaltou Sganzerla.

Campanha

De acordo com o coordenador geral da campanha da Fetrasul, Thiago Araújo, que também é gerente de Inteligência de Mercado, todos os estudos e dados relacionados ao transporte coletivo e o coronavírus foram materializados em uma campanha que mostra para a sociedade o que as concessionárias estão fazendo para garantir segurança ao usuário e minimizar a proliferação da Covid-19.

Ele explicou que foi criado um selo do Protocolo Transporte Seguro, que estará em todos os ônibus de Anápolis, garantindo que os veículos estão preparados para receber o usuário com segurança. Thiago explicou que o acesso às informações é simples. Cartazes na Estação Central e dentro dos ônibus trazem um QR Code que podem ser lidos pela câmera do celular, levando a um hotsite que apresentam as 14 medidas e notícias relacionadas ao transporte coletivo de Anápolis.

Thiago Araújo chamou a atenção para o e-book, também disponível no endereço eletrônico protocolotransporteseguro.com.br, que apresenta várias ações que contribuem no combate à Covid-19.

14 MEDIDAS DO PROTOCOLO TRANSPORTE SEGURO:

1. Janelas abertas para circular o ar dentro dos ônibus;

2. Higienização completa dos veículos com produto homologado pelos órgãos de saúde;

3. Higienização dos ônibus nos terminais;

4. Higienização de terminais diária;

5. Higienização intensificada em garagens e áreas administrativas;

6. Vacinação contra H1N1 para todos os motoristas;

7. Incentivo ao pagamento com cartão transporte;

8. Incentivo ao uso de aplicativo de informação de rotas e horários dos ônibus (Moovit);

9. Uso obrigatório de máscaras no interior dos ônibus;

10.Produtos de higienização e desinfecção devidamente homologados aos colaboradores para limpeza do local de trabalho, além de disponibilização de álcool em gel na Estação Central;

11.Medição de temperatura dos motoristas nas garagens;

12. Campanhas de prevenção à Covid-19;

13. Avaliação e acompanhamento do colaborador com sintomas da Covid-19;

14. E-book de prevenção à Covid-19.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anúncio Barra Lateral Posts

Advertisement

Destaque