Connect with us

Saúde

Prefeitura intensifica o combate ao Aedes Aegypti durante quarentena

Trabalho de orientação feito pelos agentes de endemias continua em toda a cidade de forma controlada e segura

DA REDAÇÃO

Embora toda a cidade esteja voltada para a pandemia do coronavírus, a Prefeitura de Anápolis não para e continua com o combate ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e o zika vírus. Por isso, os agentes de endemias prosseguem com seus trabalhos de forma controlada e segura.

Os agentes farão as visitas a lotes baldios e às residências apenas na parte externa como quintais, sem contato com os moradores. Devido à orientação de toda a população permanecer em casa, foi feito um trabalho de capacitação para que possam atender mesmo sem que o morador não permita a entrada nas dependências externas.

“Como muitas pessoas não estão permitindo a entrada, orientamos os agentes a instruírem os moradores pelo interfone ou mesmo do lado de fora para que não descuidem da dengue. Vamos aproveitar que estão em casa para ter esses cuidados”, explica o coordenador de Vigilância, Júlio César Spíndola.

Mas é importante ressaltar que, para ter um trabalho eficaz, é necessária a colaboração de toda a comunidade. Neste ano, houve um aumento de 12% nos casos notificados em relação aos dois primeiros meses de 2019. Foram 1.582 em janeiro e fevereiro contra 1.783 de 2020, respectivamente. “A conta é simples. Se o trabalho dos agentes não for multiplicado pela população o mosquito se prolifera”, ressalta a gerente de Endemias, Patrícia Godói.

Limpeza de lotes, calhas e outras medidas de combate aos focos devem ser rotineiras, além de cuidados básicos como não deixar água parada até o apoio ao trabalho dos agentes. “A população precisa fazer a sua parte”, frisa a gerente.

Medidas de combate ao Aedes Aegypti:

Não deixar água parada em pneus

Não deixar água acumulada sobre a laje

Não deixar a água parada nas calhas

Deixar as vasilhas com plantas sempre secas ou cobri-las com areia

Caixas de água devem ser limpas constantemente e mantidas sempre fechadas e bem vedadas

As piscinas devem ter tratamento de água com cloro. As que não são utilizadas devem permanecer sempre secas

Garrafas devem ser armazenadas em locais cobertos e sempre de cabeça para baixo

Não descartar lixo em terrenos baldios e manter a lata de lixo sempre bem fechada

Por Redação

Embora toda a cidade esteja voltada para a pandemia do coronavírus, a Prefeitura de Anápolis não para e continua com o combate ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e o zika vírus. Por isso, os agentes de endemias prosseguem com seus trabalhos de forma controlada e segura.

Os agentes farão as visitas a lotes baldios e às residências apenas na parte externa como quintais, sem contato com os moradores. Devido à orientação de toda a população permanecer em casa, foi feito um trabalho de capacitação para que possam atender mesmo sem que o morador não permita a entrada nas dependências externas.

“Como muitas pessoas não estão permitindo a entrada, orientamos os agentes a instruírem os moradores pelo interfone ou mesmo do lado de fora para que não descuidem da dengue. Vamos aproveitar que estão em casa para ter esses cuidados”, explica o coordenador de Vigilância, Júlio César Spíndola.

Mas é importante ressaltar que, para ter um trabalho eficaz, é necessária a colaboração de toda a comunidade. Neste ano, houve um aumento de 12% nos casos notificados em relação aos dois primeiros meses de 2019. Foram 1.582 em janeiro e fevereiro contra 1.783 de 2020, respectivamente. “A conta é simples. Se o trabalho dos agentes não for multiplicado pela população o mosquito se prolifera”, ressalta a gerente de Endemias, Patrícia Godói.

Limpeza de lotes, calhas e outras medidas de combate aos focos devem ser rotineiras, além de cuidados básicos como não deixar água parada até o apoio ao trabalho dos agentes. “A população precisa fazer a sua parte”, frisa a gerente.

Medidas de combate ao Aedes Aegypti:

Não deixar água parada em pneus

Não deixar água acumulada sobre a laje

Não deixar a água parada nas calhas

Deixar as vasilhas com plantas sempre secas ou cobri-las com areia

Caixas de água devem ser limpas constantemente e mantidas sempre fechadas e bem vedadas

As piscinas devem ter tratamento de água com cloro. As que não são utilizadas devem permanecer sempre secas

Garrafas devem ser armazenadas em locais cobertos e sempre de cabeça para baixo

Não descartar lixo em terrenos baldios e manter a lata de lixo sempre bem fechada

Fonte: anapolis.go.gov.br

Por Redação

Embora toda a cidade esteja voltada para a pandemia do coronavírus, a Prefeitura de Anápolis não para e continua com o combate ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e o zika vírus. Por isso, os agentes de endemias prosseguem com seus trabalhos de forma controlada e segura.

Os agentes farão as visitas a lotes baldios e às residências apenas na parte externa como quintais, sem contato com os moradores. Devido à orientação de toda a população permanecer em casa, foi feito um trabalho de capacitação para que possam atender mesmo sem que o morador não permita a entrada nas dependências externas.

“Como muitas pessoas não estão permitindo a entrada, orientamos os agentes a instruírem os moradores pelo interfone ou mesmo do lado de fora para que não descuidem da dengue. Vamos aproveitar que estão em casa para ter esses cuidados”, explica o coordenador de Vigilância, Júlio César Spíndola.

Mas é importante ressaltar que, para ter um trabalho eficaz, é necessária a colaboração de toda a comunidade. Neste ano, houve um aumento de 12% nos casos notificados em relação aos dois primeiros meses de 2019. Foram 1.582 em janeiro e fevereiro contra 1.783 de 2020, respectivamente. “A conta é simples. Se o trabalho dos agentes não for multiplicado pela população o mosquito se prolifera”, ressalta a gerente de Endemias, Patrícia Godói.

Limpeza de lotes, calhas e outras medidas de combate aos focos devem ser rotineiras, além de cuidados básicos como não deixar água parada até o apoio ao trabalho dos agentes. “A população precisa fazer a sua parte”, frisa a gerente.

Medidas de combate ao Aedes Aegypti:

Não deixar água parada em pneus

Não deixar água acumulada sobre a laje

Não deixar a água parada nas calhas

Deixar as vasilhas com plantas sempre secas ou cobri-las com areia

Caixas de água devem ser limpas constantemente e mantidas sempre fechadas e bem vedadas

As piscinas devem ter tratamento de água com cloro. As que não são utilizadas devem permanecer sempre secas

Garrafas devem ser armazenadas em locais cobertos e sempre de cabeça para baixo

Não descartar lixo em terrenos baldios e manter a lata de lixo sempre bem fechada

Fonte: anapolis.go.gov.br

Por Redação

Embora toda a cidade esteja voltada para a pandemia do coronavírus, a Prefeitura de Anápolis não para e continua com o combate ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e o zika vírus. Por isso, os agentes de endemias prosseguem com seus trabalhos de forma controlada e segura.

Os agentes farão as visitas a lotes baldios e às residências apenas na parte externa como quintais, sem contato com os moradores. Devido à orientação de toda a população permanecer em casa, foi feito um trabalho de capacitação para que possam atender mesmo sem que o morador não permita a entrada nas dependências externas.

“Como muitas pessoas não estão permitindo a entrada, orientamos os agentes a instruírem os moradores pelo interfone ou mesmo do lado de fora para que não descuidem da dengue. Vamos aproveitar que estão em casa para ter esses cuidados”, explica o coordenador de Vigilância, Júlio César Spíndola.

Mas é importante ressaltar que, para ter um trabalho eficaz, é necessária a colaboração de toda a comunidade. Neste ano, houve um aumento de 12% nos casos notificados em relação aos dois primeiros meses de 2019. Foram 1.582 em janeiro e fevereiro contra 1.783 de 2020, respectivamente. “A conta é simples. Se o trabalho dos agentes não for multiplicado pela população o mosquito se prolifera”, ressalta a gerente de Endemias, Patrícia Godói.

Limpeza de lotes, calhas e outras medidas de combate aos focos devem ser rotineiras, além de cuidados básicos como não deixar água parada até o apoio ao trabalho dos agentes. “A população precisa fazer a sua parte”, frisa a gerente.

Medidas de combate ao Aedes Aegypti:

Não deixar água parada em pneus

Não deixar água acumulada sobre a laje

Não deixar a água parada nas calhas

Deixar as vasilhas com plantas sempre secas ou cobri-las com areia

Caixas de água devem ser limpas constantemente e mantidas sempre fechadas e bem vedadas

As piscinas devem ter tratamento de água com cloro. As que não são utilizadas devem permanecer sempre secas

Garrafas devem ser armazenadas em locais cobertos e sempre de cabeça para baixo

Não descartar lixo em terrenos baldios e manter a lata de lixo sempre bem fechada.

Fonte: anapolis.go.gov.br

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anúncio Barra Lateral Posts

Advertisement

Destaque