Connect with us

Goiás

Codego apresenta proposta de correção das obras do Anel Viário do Daia

Novo processo licitatório será aberto para readequar os serviços

DA REDAÇÃO

O corpo técnico da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego) apresentou nesta segunda-feira, dia 25, à promotora Sandra Mara Garbelini, titular da 15ª Promotoria de Anápolis, e representantes da prefeitura, os projetos executivos de readequação e correção das obras do Anel Viário que liga a BR-060 ao Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), investigadas pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) no governo anterior.

Cumprindo a Lei de Licitações e o princípio da legalidade administrativa, o presidente da Codego, Marcos Cabral, determinou a abertura de uma nova licitação. Dessa forma, o Governo de Goiás, por meio da Companhia, traçou projetos executivos que serão contemplados no processo licitatório.

O primeiro deles será de readequação das obras já executadas, incluindo serviços emergenciais, com foco na drenagem e na segurança do trecho sobre o Ribeirão Extrema, com a implantação de defensa metálica e da construção de uma via para pedestres no canteiro central. O projeto será executado tão logo o processo licitatório esteja concluído, com prazo estimado em 15 dias úteis.

A segunda etapa será voltada para a construção da parte remanescente da obra, que estava paralisada. A implantação será realizada em abril, após o período chuvoso.

Segundo a promotora Sandra Mara Garbelini, as antigas empresas contratadas não executaram o serviço conforme o projeto, o que coloca a vida de pessoas em risco e impacta o meio ambiente, e também não cumpriram os prazos determinados no contrato. “Por isso, a 15ª Promotoria não recomenda que essas empresas executem essa adequação proposta, sendo necessária a deflagração de um novo processo licitatório, ate porque o Ministério Público persegue todas as irregularidades que envolvem essa contratação.”

Investigação

O Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Centro de Inteligência do MP-GO deflagraram em dezembro de 2018 a Operação Propinoduto. Os promotores de Justiça ainda investigam o desvio do dinheiro público destinado à obra do Anel Viário que liga a BR-060 ao Daia.

Conforme o MP-GO, há indícios de superfaturamento, fraude nas medições e pagamento de propina em favor de agentes públicos. A atual gestão da Codego tem se colocado à disposição das autoridades para contribuir com a apuração dos fatos.

A Companhia de Desenvolvimento de Goiás (Codego) é uma empresa de economia mista sob controle acionário do Estado, jurisdicionada à Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Serviços de Goiás (SIC) e tem por objetivo a promoção do desenvolvimento econômico mediante o desempenho de atividades de fomento para diversificação da economia, geração de empregos e renda e preservação do meio ambiente.

Fonte: www.goias.gov.br

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anúncio Barra Lateral Posts

Advertisement

Destaque