Connect with us

Saúde

Psicologia: Os perigos da Dependência Emocional

O apego excessivo a outra pessoa, independente da relação, pode ser indícios de problema pessoais sérios

Por Priscila Marçal

Você conhece alguém que é excessivamente dependente do afeto de outra pessoa? Aquela pessoa “pegajosa” que quer a companhia do amigo (a), namorado (a), pais, líderes, etc., é mais comum do que se imagina e a psicologia identifica essas pessoas como “Dependentes Emocionais”, que nada mais é que o apego exagerado a outra pessoa.

De acordo com o psicólogo Rodrigo Mansil, “a dependência emocional surge da necessidade de estar com o outro para não nos sentirmos sozinhos ou fracassados em nossa vida social”. Segundo o psicólogo, esse tipo de distúrbio pode estar associado à baixa autoestima e pode ser tratado com terapia.

As causas

O psicólogo Rodrigo Mansil explica o que é Dependência Emocional

De acordo com Mansil, uma das principais causas é a baixa autoestima. “Aquele que ama pouco a si mesmo necessita que os outros o amem para sentir-se digno de amor”. Daí vem a necessidade de procurar um parceiro, para se convencer de que se é digno de amor. O psicólogo explica que não há nada de errado aí, exceto quando a própria aceitação de si mesmo se baseia nisso, é quando se verifica o problema.

O problema são as consequências desta dependência emocional. Segundo o psicólogo, ela se torna uma prisão da qual é difícil sair porque frequentemente é confundida com o amor verdadeiro. “O amor deve se basear em uma escolha livre e não em uma necessidade de estima. Quando aparece a dependência emocional, em muitos casos o amor se destrói e as consequências são negativas para os dois”, explica. Além disso, a relação passa a ser um instrumento de manipulação de um parceiro para com o outro.

Outro motivo que leva à dependência emocional são as exigências sociais para o status “casado”. “Vivemos em uma sociedade que nos bombardeia com a ideia de que ter um parceiro é necessário para ser feliz. Quando se chega a certa idade, estar solteiro não é bem visto socialmente: ser um solteirão ou uma solteirona é sinônimo de fracasso. Socialmente insistem que ter um par é sinônimo de êxito e felicidade”, conta o psicólogo.

Assim, a dependência emocional nos mantém em relações que não funcionam. Ela faz com que muitos permaneçam em relacionamentos que não lhes fazem felizes, o que gera um mal-estar emocional significativo. Além disso, contribui para a inércia diante de problemas como a violência física ou psicológica.

Confira a entrevista completa concedida pelo Psicólogo Rodrigo Mansil ao Programa “O X da Questão” na Rádio Imprensa, 104,9

Rodrigo Mansil, psicólogo

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anúncio Barra Lateral Posts

Advertisement

Destaque