Connect with us

Brasilia

Bolsonaro toma posse com discurso de reformas e defesa da democracia

Perdeu alguma parte das cerimônias desta terça-feira? Saiba os destaques de um dia histórico em Brasília

Horas de expectativa separavam o público presente na Praça dos Três Poderes e na Esplanada dos Ministérios para assistir o último ato das eleições de outubro de 2018. Quando os relógios marcaram 15h, virou realidade o desejo da maior parte da população brasileira, que expressou nas urnas do País sua vontade de eleger Jair Bolsonaro como presidente da República e Hamílton Mourão como vice.

Não houve decepção entre as 115 mil pessoas presentes, número divulgado pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República. Eles viram Bolsonaro e Mourão serem empossados no Congresso, andar de carro aberto no tradicional Rolls Royce, saudar a população vestida majoritariamente de verde e amarelo, receber a faixa presidencial de Michel Temer e mostrar, em dois discursos, as prioridades da nova gestão.

Vestido de Papai Noel verde e amarelo, as cores da bandeira brasileira, o aposentado Walter Moura Junior, 54 anos, revela seu desejo, mostrando a esperança que o resultado eleitoral gerou na população. “A maior alegria o Brasil está tendo agora. O resgate da dignidade desse povo maravilhoso que somos nós”, afirmou.

“É uma emoção de poder participar”, disse Mayra Ewert, 27 anos, consciente que é preciso um esforço coletivo nos próximos anos em favor do Brasil. “Eu espero realmente que garanta um bom futuro para a minha geração”, disse a estudante Maria Rita Hasbun, 14 anos, que veio com a família de Fortaleza (CE).

Juramento

Ao lado da primeira-dama da República, Michelle Bolsonaro, o presidente deixou a Granja do Torto às 14h25 em direção à Esplanada dos Ministérios, onde o povo aguardava sua chegada desde cedo. Na Catedral Metropolitana de Brasília, embarcou no tradicional Rolls Royce sem capota, em direção ao Congresso Nacional, onde foi recepcionado pelo presidente do Congresso, Eunício Oliveira, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli.

No plenário do Congresso, repleto de parlamentares reeleitos e recém eleitos, de autoridades brasileiras e do exterior, Bolsonaro e Mourão juraram à Constituição Federal. No seu primeiro discurso como presidente da República, o capitão da reserva defendeu a responsabilidade com as contas públicas, uma política externa aberta e uma atuação política pautada pela ética. Muito aplaudido, seguiu para a rampa da sede do poder Legislativo federal.

Houve execução do Hino Nacional Brasileiro, uma salva de tiros de canhão e uma revista às tropas militares pelo presidente. Logo depois, ele se direcionou ao Palácio do Planalto, local de onde irá despachar nos próximos quatro anos de seu mandato.

Faixa presidencial

Às 16h50, Jair Bolsonaro subiu a rampa do Palácio do Planalto para receber de seu antecessor, Michel Temer, a faixa presidencial. Na sequência, se dirigiu ao parlatório para seu pronunciamento oficial à nação.

No discurso, Bolsonaro prometeu reduzir o tamanho do Estado, desburocratizar a administração pública e cumprir a Constituição. Ele ressaltou a capacidade técnica de seus 22 ministros e disse ter montado um governo sem acordos políticos e conchavos, defendendo o combate à corrupção e a priorização do interesse dos brasileiros. “Nossa bandeira nunca será vermelha”, afirmou.

Autoridades estrangeiras

No total, 46 delegações estrangeiras acompanharam as cerimônias. Foram 11 chefes de Estado e governo, três vice-presidentes, 11 chanceleres, 18 enviados especiais e três diretores de organismos internacionais.

Entre as autoridades estrangeiras que prestigiaram a posse estão os primeiros-ministros de Israel, Benjamin Netanyahu; e da Hungria, Viktor Orbán; o secretário de Estado dos Estados Unidos da América, Mike Pompeo, além do presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa. Da América do Sul, marcaram presença os presidentes Sebastián Piñera (Chile), Mario Abdo Benítez (Paraguai), Tabaré Vázquez (Uruguai) e Evo Morales (Bolívia).

Repercussão

No Twitter, as autoridades estrangeiras reforçaram as congratulações ao presidente Bolsonaro, como foi o caso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. “Os EUA estão com você”, escreveu o líder norte-americano.

Já premiê de Israel, Benjamin Netanyahu desejou boa sorte e postou uma foto abraçando Jair Bolsonaro.

Por sua vez, o presidente da Argentina, Mauricio Macri, disse querer continuar a parceria com o Brasil. O presidente da Colômbia, Iván Duque, afirmou desejar aprofundar as relações políticas, econômicas e culturais com o Brasil.

“Desejo o melhor a Jair Bolsonaro, que assume como presidente do Brasil, país amigo e irmão. Confio em nossos governos continuarão colaborando para a prosperidade de nosso povo”, escreveu o presidente argentino.

Fonte: Planalto

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anúncio Barra Lateral Posts

Advertisement

Destaque